PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

domingo, 21 de fevereiro de 2010

PECADO X DOENÇAS

Está um assunto que pode dar muitos quilômetros de escritos. Como podem estar relacionados os ditos pecados e o aparecimento de doenças. Em uma primeira olhada pode não ter relação nenhuma uma coisa com a outra, mas podemos elaborar um raciocínio da seguinte forma:


1) A pessoa que comete um pecado, uma falha, um erro, sabe que cometeu, pois está infligindo um código estabelecido por alguém ou ele mesmo.

2) Isso cria (ou não) na pessoa um sentimento de culpa.

3) Isso pode (ou não) baixar seu sistema imunológico e permitir que alguma doença, bactéria, vírus se manifeste.

Faz algum sentido essa idéia?

Então podemos criar uma metodologia para avaliar se essa situação ocorre, ou não, no nosso meio social.

Vejamos as pessoas que estão doentes, numa entrevista cuidadosa poderemos avaliar se elas tem algum sentimento de culpa por ter transgredido alguma norma. Isso pode não ser tão simples pois esse modelo pode estar associado a uma manifestação inconsciente e, sendo desta forma, a pessoa não saberia relatar se sofre por algum motivo especifico.

Vamos agora pousar nosso olhar naqueles que tem sempre uma postura saudável, os que não reclamam dos males da vida e vivem, aparentemente, bem de saúde. Como será a postura destas pessoas diante do que julgamos erros e pecados?

Outro foco desta nossa pesquisa social são as pessoas portadoras de distúrbios de personalidade e, por causa disso, não sentem remorsos. Será que essas pessoas são mais saudáveis?

Se formos mesmo aprofundar neste pensamento teremos que procurar saber se das pessoas que se confessam (na religião e na lei) recuperam sua saúde. Caso estivessem doentes antes, claro!

E as cadeias? E presídios? Onde milhares de pessoas estão presas por terem cometidos crimes? Como reage o corpo diante da postura mental de aceitação ou não do seu ato?
Vamos lá! Isso é o exercício da nossa capacidade mental de questionar, especular diante da realidade!

Como seres humanos não podemos nos permitir viver na admiração sem querências. Eu quero saber! Não sei direito ainda o que eu quero saber,. Mas sei que quero saber! É meu direito, no mínimo, questionar.

Não fique na passividade, o mundo pode ser um lugar maior: limpe a lente!

João Oliveira - Psicólogo CRP 05/32031
Mestrando em Cognição e Linguagem - UENF

Nenhum comentário: