PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Facções do tráfico ocupam o Interior do Rio



publicado em 23/02/2010 às 08h54 texto de Mario Hugo Monken, do R7, no Rio


Ministério Público investiga presençaõ de facções criminosas no interior do Rio de JaneiroO Ministério Público do Rio de Janeiro está fazendo um mapeamento sobre a presença de facções criminosas e milícias que atuam na capital, no interior e no litoral fluminenses. Os promotores tentam identificar os principais chefes do tráfico de drogas e de milícias nesses municípios com base em denúncias. O trabalho deve ser concluído até o fim deste semestre.

O levantamento ganhou peso após surgirem informações de que, com a implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) em favelas, os traficantes cariocas poderiam estar rumando para o interior e o litoral fluminense.Com base em informações de fontes das polícias Civil e Militar, o R7 confirmou que as facções atuam nas principais cidades do interior e do litoral como Volta Redonda e Angra dos Reis - no sul fluminense -, Petrópolis, Nova Friburgo e Teresópolis - na região serrana -, Macaé e Campos dos Goytacazes - no norte do Estado -, e em Cabo Frio, na região dos Lagos.

Segundo policiais, essas favelas são abastecidas por traficantes cariocas. São frequentes as apreensões de drogas nessas localidades com as siglas dos grupos criminosos que atuam na capital. Um agente ouvido pelo R7 disse que as quadrilhas mais poderosas se encontram em Macaé e em Angra dos Reis, que são rotas para a entrada de drogas no Estado.

Nesses dois municípios, haveria armas pesadas, como fuzis. MigraçãoEm Macaé e em Cabo Frio, os traficantes já cultivam os mesmos hábitos dos cariocas: atacam ônibus nas ruas e ordenam toques de recolher para protestar contra mortes de comparsas em ações da polícia ou em confrontos com rivais. Nessas cidades, há disputas entre as facções rivais com registros de várias mortes.

Foto por Wilton Junior/AE/Arquivo/28.12.2009

Um comentário:

007BONDeblog disse...

Prezado joão

Publiquei uma matéria sobre esse fato. As UPPs são uma forma correta de se enfrentar o crime e de retomar áreasantes dominadas por facções CRIMINOSAS para o controle do Estado.

Ocorre que da forma como está sendo realizada,elas refrescam a Zona Sul do Rio (Capital) e fazem o crime ferver nas demais regiões.

Um trabalho de inteligência, monitorando o deslocamento dos traficantes era necessário de ser feito de forma preventiva,impedindo que eles se consolidassem em outras áreas.

Um abraço