PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

LIDERANÇA CORPORATIVA



Por João Oliveira (Psicólogo CRP 05/32031)

Obviamente que não existe líder sem equipe. Claro que já ouvimos falar em liderar a si próprio, mas, no ambiente institucional um líder só terá efeito na produtividade se tiver, sob seu comando, uma equipe. Aliás, saber escolher um bom grupo de colaboradores também é papel de quem quer exercer uma liderança que dê resultados positivos dentro da estrutura onde atua.


Em primeiro lugar o líder não é o sujeito que fica sentado na mesa dando ordens o tempo inteiro. Esse pode ser o chefe, mas líder de fato é aquele que consegue com inteligência, paciência, disciplina, humildade e respeito, direcionar as potencialidades de seus colaboradores para obter os frutos esperados. Muitas vezes, esse líder, não ocupa uma posição formal de comando na empresa. Ele está entre os colaboradores exercendo uma função de responsabilidade igual aos demais no seu entorno.


Então, como que faz um líder? Como ele se forma? Já sabemos que não é a posição que ocupa, o cargo, na empresa e sim o papel que exerce fazendo a diferença na organização de esforços e resultados que o grupo alcança.


Primeiro devemos definir o que liderança de fato. Para existir liderança é necessário a existência de um grupo, pelo menos mais de uma pessoa. Que ocorra uma distribuição desigual de poder, ou seja, uma hierarquia para a instituição do líder estrutural, isso é necessário mesmo que o líder de fato não seja o certificado e, por último, que a liderança seja aceita pelos colaboradores. Esse é o ponto mais importante e que define de fato se há ou não o comando: se a autoridade é dada ao superior.


Clarificando esse ponto. Não existe forma de se comandar quem não quer ser comandado. Por isso a autoridade é uma coisa ofertada pelo comandado ao seu superior e não o contrário como muitos líderes autoritários pensam. Assim, sem a aceitação do comando, surgem as divergências, motins, revoltas e todo o resto que pode acabar com uma instituição.


Ser carismático, saber ouvir, ter informações de todas as fontes confiáveis e saber escolher quais intervenções devem ser feitas são requisitos mínimos para o escopo de um bom líder. No entanto, para facilitar a formação de um perfil respeitado por todos os colaboradores podemos enumerar 10 atitudes comportamentais que devem ser evitadas a todo custo, pois, elas não fazem parte da estrutura de um real líder:


1) Não seja autoritário: esse perfil só dá certo mesmo com o J.J. Jameson o chefe do Peter Parker (Homem Aranha) nas histórias em quadrinhos. Além de caricato e apenas impor medo, esse tipo de chefe (não é líder) acaba sendo destruído pelos próprios colaboradores na primeira oportunidade que tiverem.


2) Evite falar demais: pessoas seguras não são prolixas. Dar muitos detalhes desnecessários de operações ou especular sobre o futuro de forma muito ampla com todos os colabores podem passar uma imagem de insegurança. Fale o essencial com assertividade procurando clarificar o conteúdo para que não haja ruídos no processo.


3) Não chame a atenção de um colaborador em público: se for necessário ter uma conversa mais densa com algum membro de sua equipe, chame-o para uma conversa particular. Jamais faça qualquer reclamação com um funcionário na frente dos outros, até porque pode ser considerado assédio moral. O contrário está liberado: elogie sempre que possível na frente de todos. O mérito deve ser valorizado.


4) Jamais tome os louros só para si: lembre-se que os resultados obtidos só foram possíveis por que a equipe esteve coesa. Claro que a ideia foi sua, mas foi a equipe que realizou sob seu comando. Então, a palavra de ordem é: nós! Use sempre este pronome pessoal na hora de dar declarações sobre os feitos do seu setor.


5) Não tenha pressa: pessoas que emanam poder são mais calmas e costumam pensar antes de tomar decisões. Lembre-se que uma decisão certa ou errada pode mudar todo o conceito que os seus liderados têm a seu respeito. Por isso pondere as possibilidades de resultados. Corra riscos sim! Mas consciente das possibilidades.


6) Não coloque a culpa nos outros: Essa é muito fácil pois está ligada aos pronomes pessoais. Na hora que tudo deu certo o pronome que deve ser usado é: nós! Quando os resultados não forem os esperados troque para: eu! Simples assim. Ocorre que os falsos lideres usam de forma inversa esses pronomes.


7) Não seja passional: Com toda certeza do mundo o líder deve saber administrar suas emoções pois, elas podem contaminar todo o grupo. Quando a situação for de crise o líder deve saber alavancar o potencial do seu corpo laboral e elevar a autoestima de todos. Por isso deve manter o equilíbrio das emoções nas diferentes situações.


8) Não assuma tudo: saber dividir responsabilidades é fundamental para qualquer grande gestor. Possivelmente ninguém fará nenhuma tarefa melhor que você, não é mesmo? Mas, é necessário que exista a distribuição de comando para que o setor possa ter um desempenho orgânico. Se tudo depender do líder a empresa irá parar.


9) Não tenha medo de colaboradores mais inteligentes que você: Na verdade é justamente esse o papel do líder, encontrar pessoas mais competentes que ele e administrar seus talentos. O real líder está cercado de talentos que atuam realizando tarefas de acordo com a natureza de suas capacidades. Colocar a pessoa certa no cargo exato é o papel do líder.


10) Não trabalhe o tempo todo: Como bom líder saiba também dar o exemplo de uma vida saudável com seu tempo dedicado ao lazer. Crie possibilidades na instituição para que os seus colaboradores possam usufruir de uma qualidade de vida adequada. O tempo que a vida era só trabalho acabou! Aliás, isso nunca foi sinal de produtividade.


Sabemos que alguns líderes já nascem prontos. O seu modo de falar, agir, o temperamento emocional, sua maneira de pensar e tomar decisões de alguma forma foram moldados pelas próprias experiências e aprendizado para que já seja considerado um talento nato.


Nem todos podem se orgulhar de terem um talento para liderança natural. Para isso existe a técnica, algo capaz de igualar os seres humanos com capacidade de aprender e replicar comportamentos. Se este for o seu caso, um bom começo é decorar e aplicar, diariamente, essa pequena lista acima.


No dias 19 e 20 de dezembro teremos MINDSET BUSINESS no Rio de Janeiro, conheça o curso clicando aqui: http://www.isec.psc.br/produto/mindset-business

Nenhum comentário: