TOPO

PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

Página Oficial De Cursos

http://www.isec.psc.br


Facebook De João Oliveira

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-Mail direto para João Oliveira:

oliveirapsi@gmail.com

Para receber links, senhas e informações sobre palestras e congressos virtuais mande um email para:

isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

IMAGINAÇÃO E REALIDADE





Por João Oliveira

- Você consegue ver algo no horizonte?

- Vejo as pessoas ainda dormindo como sempre.

- Isto é bom. Assim elas podem continuar sonhando.

- O que é isso? Você não prefere que elas morram sonhando?

- Sempre estiveram... que mal existe nisso. A morte é apenas mais um momento de desligamento que se eterniza.

- Não! Prefiro que acordem e percebam o que está ocorrendo.

- Elas jamais saberão o que está ou, que esteve ocorrendo, se estão sonhando mesmo acordadas.

                Dito isto, a figura esguia se levantou em frente a um exército incontável de soldados feitos de névoa. Como um supremo general se virou para a multidão sinuosa e gritou:

- Vocês estão prontos para criar novas possibilidades reais para essas unidades vivas feitas de carbono que também se ousam chamar de seres humano?

                O silêncio foi o eco que retornou.

- Viu? Diante da possibilidade de criar realidade dura e crua ninguém se move... agora, deixa eu ordenar de novo e veja o que acontece.

                Novamente toma a frente a figura sinuosa e, por mais uma vez grita:

- Darei bons bocados de prazer na existência prolongada para todo aquele soldado da criação que me trouxer, pelo menos, um novo desejo que não possa ser realizado criado na mente dos chamados humanos.

                Ocorreu uma reviravolta. Todos os soldados da criação (eles mesmos se denominavam assim por serem capazes de provocar desejos e querências) se levantaram e começaram a correr em direção aos que dormiam. Não houve batalha, foi tudo muito simples, apenas sopravam nos ouvidos dos humanos e estes sorriam, mesmo em sono profundo. 

- Viu, não lhe disse, está tudo resolvido. São mais de sete bilhões de almas sonhadoras e desejosas de algo que nunca alcançaram.

- Isto não e justo. Dominar aqueles que nem sabem que estão em uma batalha não é mérito.

- Por que você fala assim comigo Realidade. Justamente você que sempre se acha dono da verdade e é cheia de egocentrismos, análises de situações, estratégias, tudo que leva ao desgaste e sofrimento.

- Por isto mesmo, Imaginação. Acredito no momento presente, real, e nas decisões que podemos tomar diante das dificuldades para elevar o nível de consciência.

- Agora é tarde. Este plano já me pertence... todos estão felizes acreditando em muitas coisas ao mesmo tempo e nunca produzindo algo que seja de fato material e duradouro. Não é divertido observar como discutem sobre as performances de outros tão iguais como se fossem diferentes em alguma coisa?

- Você me faz sentir mais orgulho daqueles poucos que rompem a barreira do sonho e transformam desejos em fatos concretos.

- Estes nem entram na minha contabilidade, são pobres sofredores que se divertem menos que os demais.

- Sabe – disse a Realidade – você até que é útil quando está unida a mim.

- Acredita mesmo nisso?

- Sim! Brigamos sem motivo... afinal tudo que é real ocorreu primeiro na imaginação.

- Mas, você está misturando as coisas: - Eu sou a Imaginação, o sonho, coisas que nunca serão alcançadas: desejo!

- Sim, é fato, a grande maioria está perdida apenas sonhando e desejando. Mas, alguns conseguem ir além e vivem seus sonhos concretizados no mundo físico.

- Sinto muito. Só vejo o universo que conquistei. Eles sorriem tão somente com o que vivenciam dentro de suas cabeças.

- Que tal se no próximo plano uníssemos forças?

- Bem que gostaria Realidade, mas é justamente fugindo de você que eles caem em meus braços.

A Realidade deu uma longa gargalhada.

- Você me faz rir... eles não sabem quem você realmente é. Confundem ilusão com esperança. E fique você sabendo que não sou ruim, apenas eles só despertam quando se dão conta da minha existência em momentos de sofrimento: quando você finalmente falha.

Nenhum comentário: