PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

O NOVATO NA TURMA



Por Prof. Dr. João Oliveira

Quando um novo colaborador chega à instituição, ele está sendo colocado em um novo ambiente que tem sua própria cultura organizacional (C.O.). Vindo, ou não, de uma outra instituição ele traz uma carga cultural própria que deve sofrer adaptações e, muitas vezes, contribuir com a C.O. local. Ocorre que, na maioria das vezes, o novato é colocado em sua função sem receber subsídios sobre as relações locais.

A C.O. é constituída de muitas partes e podemos criar um protocolo de apresentação para diminuir o impacto nos novo profissionais. Lembrando que as características das funções, suas responsabilidades e tarefas também devem fazer parte da apresentação, que nada mais é que um momento ritualístico.

Para facilitar este momento o profissional de RH deve ter pronto um escopo da C.O., que deve incluir aspectos como:

1 - Ritos instituídos: Algumas empresas mantém calendários de aniversários, cerimônias quando algum membro aposenta ou é transferido, a própria recepção de um novo elemento pode vir recheada com uma festa de boas vindas. Os rituais de passagem constituem um forte elemento na C.O. e devem ser observados com especial destaque pois, após algum tempo, as pessoas esperam que sejam incluídos no roteiro. Se alguém é esquecido em seu aniversário, por exemplo, pode se sentir altamente diminuído na instituição.

2 – Linha Histórica: Como surgiu? Quem foi o fundador da empresa? Quais eram suas metas? Dentro deste conteúdo, alguns mitos sobre a instituição ajudam a dar um tempero especial, como aquela história de como todos conseguiram salvar os produtos na enchente de 1966! Ter uma boa história sobre a empresa faz do colaborador alguém associado a uma tradição.

3- Símbolos e Artefatos: A linguagem não verbal do ambiente. Vai, desde o espaço físico, da estrutura das salas e material de trabalho até as roupas usadas e os crachás ou broches ostentados pelos funcionários. Ainda podemos pensar na postura corporal que muda de acordo com a posição da instituição ou a maneira como as pessoas se sentam à mesa de reuniões.

4- Elemento Humano: Os colaboradores que constituem o corpo funcional da empresa têm estilos próprios, preferências e, pelo menos do grupo de contato direto, deve-se saber o mínimo de cada um deles. Pessoas que trabalham próximas acabam criando laços fraternos de amizade, principalmente quando respeitam as diferenças. As mesas podem estar decoradas com fotos da família, ícones de times de futebol ou até mesmo elementos religiosas discretos. Isso tudo faz parte da C.O. e deve ser observada com carinho e atenção.

De posse destes principais elementos que compõem a C.O., o setor de RH está preparado para recepcionar o novato com uma bela apresentação do ambiente coorporativo. Assim ele terá menos estresse adaptativo e poderá focar no objetivo principal de sua contração: produtividade.

Uma boa apresentação irá poupar recursos da instituição. Uma história interessante é a de um funcionário que não fez uma remessa importante de documentos por não sabe operar a máquina de cópias e ter vergonha de falar com as pessoas que trabalhavam próximas, pois, ele não tinha sido apresentado a nenhuma delas. Estava há quase um mês na empresa e ninguém o havia introduzido à cultura local que, como podemos imaginar, era muito fechada em si mesma. Ocorre que um elemento estranho pode ser mensurado como inimigo aos residentes.

Quem já teve seu primeiro dia na escola, sabe muito bem como pode ser estressante ser o novato na turma.

Nenhum comentário: