PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

quarta-feira, 24 de maio de 2017

A MULHER MARAVILHA QUE VIVE EM CADA UMA DE NÓS


Por Beatriz Acampora

Em recente leitura da Revista da Cultura (Edição 112 – Maio de 2017), uma matéria sobre a história da personagem Mulher Maravilha me instigou a escrever um resumo uma reflexão sobre nosso empoderamento feminino.

A personagem Mulher Maravilha foi criada em 1941 pelo psicólogo norte-americano William Moulton Marston e desenhada por H. G. Peter. Seu surgimento se dá na época da Segunda Guerra Mundial e em uma entrevista, Marston ressaltou que as histórias em quadrinho deveriam ter um conteúdo educativo e relevante, que ressaltasse valores da sociedade. O fundador da All American Comics, atual DC Comics, Maxwell Gaines, se interessou por suas colocações e convidou o psicólogo para ser consultor da editora. Marston sugeriu a criação de uma princesa amazona que lutasse pelos ideais de paz, liberdade, justiça e igualdade.

Sobre a personagem: a Mulher Maravilha foi batizada de Diana e nasceu na Ilha Themyscira ou Ilha Paraíso, local inspirado na mitologia grega e que só habitava mulheres amazonas. Foi criada do barro pela sua mãe Hipólita, que pediu aos deuses que lhe dessem a vida. Diana foi presenteada com os poderes dos deuses do Olimpo, sendo considerada uma semideusa.

Sua história começa quando um avião pilotado por Steve Trevor cai nos mares da ilha, levando Hipólita, que não aceitava nenhum homem na ilha, a criar uma competição que decidiria qual amazona o levaria de volta a seu país de origem. Diana foi impedida de participar em função dos seus superpoderes, mas luta disfarçada e vence o torneio, partindo para o “mundo dos homens”, onde se depara com injustiças, desigualdades e violência.

Contudo, sua paixão por Trevor a faz decidir ficar e lutar por um mundo melhor, com mais justiça, igualdade e respeito. Surge, então, a Mulher Maravilha que se torna símbolo de força, empoderamento, inteligência e agilidade. Ela usa braceletes e tiara poderosos e tem sempre à mão seu laço da verdade, que faz com que aqueles que estão atados a ele não possam mentir.

Marston, se inspirou no movimento feminista que surgia nos anos 1940. A Mulher Maravilha é uma das poucas personagens femininas que não foi criada para viver à sombra de um herói masculino. Ela é poderosa, contra a ideia da superioridade masculina, empoderada, forte, dona de suas escolhas e cheia de coragem.

Hoje, 75 anos depois de sua criação, vivemos em uma sociedade que ainda é extremamente machista, na qual os homens ganham mais do que as mulheres, em que a mulher é exposta à violência doméstica, sexual e moral.

Ao mesmo tempo, lidamos com muitas vicissitudes e demandas, tentando gerenciar as responsabilidades com filhos, trabalho e atividades domésticas. A mulher ainda não tem poder representativo na política, mas contribui consideravelmente com o desenvolvimento social e econômico do Brasil. Pesquisas destacam que as mulheres ocupam 44% das vagas no mercado de trabalho, mas correspondem a mais de 51% da população brasileira.

A Mulher Maravilha sou eu, é você e todas nós, que buscamos construir um mundo melhor, com respeito às diferenças, com senso de justiça em um mundo que ainda é governado por homens em sua maioria e requer valorização, educação e mais amor.

Em cada uma de nós existe um grande poder de tomar decisões, enfrentar desafios, superar dificuldades e transformar a realidade na qual vivemos. Saque seu laço da verdade e use sua força para ser você mesma, para ser mais feliz, independente e autoconfiante. A grande inspiração da Mulher Maravilha está em nos mostrar que nós podemos ser o que quisermos.

É um pássaro? É um avião? (E eu acrescento: É uma estrela incandescente? Um meteoro? Ou uma nova geração de maravilhosas mulheres rasgando o espaço?) Não, é a Mulher Maravilha! Use seu poder e faça a diferença!


https://www.youtube.com/ISECtv

Nenhum comentário: