PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

QUER DESCONTO?

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

A TEMPESTADE






Por João Oliveira

Os dois vizinhos moravam lado a lado no campo. Dois pequenos sítios com uma estrutura bem similar: casa, celeiro, moinho de vento, a plantação de feijão e muitos animais correndo pelo quintal. A vida era simples, porém muito agradável naquele lugar especial longe dos barulhos das grandes cidades.

Um dia, o homem que morava mais à esquerda viu, na linha do horizonte uma terrível tempestade se aproximando. Correu para avisar ao outro:

- Vizinho! Vizinho! Corre, tem uma grande tempestade se aproximando temos de proteger a plantação, os animais e o moinho...

O outro, que morava mais à direita, molhou o dedo indicador na boca, levantou a mão para o alto e depois de analisar com olhos algo no alto e invisível disse:

- Não se preocupe: o vento pode mudar!

- O que isso, está doido? Eu vou proteger o que tenho... acho que você deveria fazer o mesmo.

- Que nada – completou o vizinho limpando o dedo na camisa – Sempre fui um homem de muita sorte. O vento vai mudar, tenho certeza.

O homem que morava mais à esquerda não perdeu tempo. Saiu correndo e retirou as pás de vento do moinho, reuniu os animais no celeiro, cobriu boa parte da plantação e colocou madeiras em todas as janelas da casa. Não satisfeito subiu no telhado, desentupiu as calhas que estavam cheias de folhas e cobriu a chaminé.

Antes de entrar ainda foi mais uma vez na casa do vizinho da direita e disse:

- Tire, pelo menos, as pás de vento do moinho. A tempestade vem forte e vai tombar a torre do seu cata-vento.

- Que nada! – Replicou rindo o outro que já estava relaxando em sua rede na varanda – Sou um homem de muita sorte e sei que o vento vai mudar de direção a qualquer momento. A tempestade vai passar longe de nós.

O homem cuidadoso desistiu, entrou em casa e fechou todas as portas e janelas. Ficou quieto no quarto com o rádio ligado acompanhando as notícias da forte tempestade que já fazia vítimas em seu caminho.

As horas se passaram e, de fato, o incrível ocorreu: o vento mudou. A tempestade tinha mudado de rumo e não passaria por sobre as propriedades desses dois vizinhos. O tempo já estava limpo, mas, a noite havia chegado e, por conta de todo trabalho que teve se preparando para a tormenta, o vizinho da esquerda adormeceu com o rádio ligado.

Como o rádio estava tocando músicas, todas as portas e janelas estavam fechadas e ele ainda havia colocado madeiras reforçando as janelas não pôde ver ou ouvir nada do que se sucedeu durante a madrugada do lado de fora: a casa de seu vizinho – da direita – pegou fogo. As chamas começaram quando uma vaca, assustada com relâmpagos ao longe, tombou um lampião no celeiro. O fogo se espalhou por quase toda propriedade, transformando a bela casa, o moinho e o próprio celeiro em poucas brasas retorcidas.

Ao amanhecer o vizinho da esquerda acorda assustado com batidas fortes em sua porta principal. Quando abriu teve um grande susto, o seu amigo estava todo chamuscado, com a roupa rasgada e sujo de carvão.

- O que houve? – Perguntou ele assustado.

- A sorte é como o vento amigo – respondeu triste o vizinho da direita – também pode mudar.

Assim, para termos alguma garantia que algo vai dar certo é necessário nos prepararmos antecipadamente. Não é certo que tudo vai correr bem. Pode ser, inclusive, que o esforço do preparo não seja realmente necessário. Mas, ao contrário, quem deixa sempre as coisas acontecerem contando com a sorte, com certeza terá uma menor probabilidade de sucesso. Lembre-se que o preparo, muitas vezes, é apenas moldar uma boa estrutura emocional para enfrentar as tempestades da vida.

Quer se preparar melhor?

http://asetimachave.com.br