PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

A POTÊNCIA MAIOR



Por João Oliveira – Psicólogo (CRP 05/32031)

                Do alto da mais alta nuvem, naquele céu de agosto, duas entidades conversavam:

- Olhando assim não me parece muito promissor mesmo, acho que é hora de tentar recomeçar o processo.

- Não é tão ruim assim, na minha opinião o único problema são os buracos do pescoço para cima e a relação com a potência maior.

- E do pescoço para baixo?

- Nem se preocupe: só reverberam o que foi decidido pelos buracos superiores.
                Uma das divinas criaturas se levanta e caminha sobre a branca nuvem que parecia um lençol de cetim.

- Sete buracos acima do pescoço! Pode contar.

- Acho que alguns são maiores (e mais relevantes) que outros...

- É por causa da função. Mas veja bem, esses sete, que estão acima do pescoço são os mais perigosos.

- Assim você me faz rir. Os dois que estão abaixo da cintura é que geram todo o problema.

                Um raio surge, rapidamente, de cada olho da entidade que caminhava.

- O que você não entende? São nove buracos que comandam quem deveria comandar! – Gritou furiosa a criatura da outra dimensão.

- Não entendo mesmo que uma potência tão fabulosa como a que existe em cada corpo seja escrava de buracos, sejam elas acima do pescoço ou abaixo da cintura. Isso não pode ser o foco de nossa discussão. Temos assuntos mais relevantes para tratar.

- Não é o assunto mais relevante! O que está criando toda confusão é que você mantém a potência maior adormecida. Assim ela não controla os buracos e torna essa era infernal. Eles não sabem o valor da potência maior. Os nove buracos mandam no corpo.

- Tudo bem! – Falou calmamente a criatura que estava sentada fazendo pequenas bolas com as frágeis nuvens ao seu redor – Por favor me coloque o seu ponto de vista antes que eu libere uma destruição e comece todo nosso jogo outra vez. Aliás, já se passaram os 432.000 anos.

- Não pelo calendário Juliano. Por ele você só têm 5.000 anos de existência e comando nessa era! Aliás, você sabe muito bem que nasceu à meia-noite em 18 de fevereiro de 3102 a.C. não é? Deixe-me te explicar uma coisa Kali,  essa era pode ser sua, mas, eles podem ter alguma chance. Afinal, todos têm a nossa imagem e semelhança. Basta que você me deixe liberar um pouco (só um pouquinho) da potência maior e explicar para eles como funciona sem entrar em um confronto direto com você.

-  Kalki meu amigo, você ainda terá de nascer entre eles e ser reconhecido como avatar para, só então, me enfrentar. Está escrito!

- Eu sei, eu sei... Mas lembre-se que, pelas escrituras, eu te destruo no futuro. Isso será mesmo necessário? Sabe, não suporto vê-los assim. Grande capacidade e tudo perdido por causa de buracos.. buracos...

- Você ia me explicar...

- Sim, desculpe! A potência maior está aprisionada diante do fluxo que entra pelos buracos do corpo sem serem devidamente apurados. Para começar temos a boca que perdeu sua função completamente. Ela deveria ser útil para alimentação e comunicação, hoje se transformou em elemento de captação de prazer nos dois sentidos. Sorve químicas e comunica asneiras.

- Concordo! – Falou Kali.

- Os dois ouvidos! Eles não escolhem no que devem prestar atenção e inundam a potência maior de informações sem nenhuma qualidade criando confusões nas interpretações. Muita bobagem ao mesmo tempo.

- Concordo também! – Disse Kali mais uma vez e Kalki continua.

- Os dois buracos do nariz nem causam tanto problema, mas se juntam a boca no quesito busca de prazer pois, estão interligados para ampliar o sabor das químicas.

- Está quase acabando seu tempo!

- E, os dois piores que estão acima do pescoço: os olhos!

- Realmente esses buracos são poderosos.

- Eles acreditam em tudo que é captado por eles! As ilusões do mundo entram como verdade e as tentações são simplesmente assimiladas como se fossem necessárias para a existência. A potência maior não tem tempo para coordenar o volume de imagens desnecessárias.

- Isso mesmo! Concordo com tudo que disse – balançou a cabeça Kali – Mas, me diga sobre os dois buracos que estão abaixo da cintura. Eles são os que realmente criam os problemas.

- Kali, devo seu sincero com você. O que ocorre com os dois buracos abaixo da cintura, na verdade, é apenas uma consequência do que se passou lá no alto, acima do pescoço. Não vou colocar na conta o que esses dois fazem ou deixam de fazer. Não vou punir ninguém pelo uso ou desuso.

- E o excesso?

- Não são buracos por onde entram informações para tomada de decisão. Eles já estão envolvidos no que a potência maior, certo ou erradamente, decidiu: estão na ponta do processo e não no início.

- Então, em sua opinião o que devemos fazer?

- Deixe-me liberar o poder da potência maior.

- Quem disse que ela está presa Kalki? Ela está plenamente solta e sendo amplamente usada. Apenas não me culpe pelas escolhas que eles fazem. Tudo é apenas uma questão de escolhas. Vamos fazer um trato?

- O que pretende?


- Tenho dois outros mundos que Brahma acabou de construir, vamos lá olhar com cuidado desde o início e ver como uma Yuga se forma. Lembre-se caro amigo... são apenas eras, nós somos eternos.

Nenhum comentário: