PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

domingo, 24 de novembro de 2013

PALESTRA VIRTUAL: MARCAS DE EXPRESSÃO 27/11/2013 às 20h00

PALESTRA VIRTUAL:
MARCAS DE EXPRESSÃO
27/11/2013 às 20h00





ASSISTA SEM PAGAR NADA !

O que são marcas de expressão?
Podemos ver a emoção de uma pessoa pelas marcas?
Existem marcas ruins?
Quais são as principais marcas de expressão?
Posso saber como uma pessoa agirá no futuro pelas marcas?
Totalmente Grátis
Assista em sua casa sem despesa nenhuma!


Aprenda um pouco de  Análise Comportamental.

Mande um e-mail agora e garanta sua vaga:
Você ainda pode adquirir seu certificado e material apresentado na palestra se assim desejar
Prof. Msc. João Oliveira é autor de livros na área de Análise Comportamental e ministra cursos desta natureza por todo o Brasil.

Próxima Turma de Análise Comportamental no Rio de Janeiro: Clique Aqui 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Palestra Virtual: Aspectos da Mentira Sábado 23/11/2013 às 20h00

PALESTRA VIRTUAL:
ASPECTOS DA MENTIRA
23/11/2013 às 20h00


ASSISTA SEM PAGAR NADA !

13 fatos que devemos saber sobre a mentira.

Quais são os principais tipos de mentira?
Principais indicadores da mentira
Reações pós-mentira
Detectando a mentira
Totalmente Grátis
Assista em sua casa sem despesa nenhuma!


Aprenda as melhores técnicas de como lidar com a mentira através da moderna Análise Comportamental.


Mande um e-mail agora e garanta sua vaga:
isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br
Você ainda pode adquirir seu certificado e material apresentado na palestra se assim desejar
Prof. Msc. João Oliveira é autor de livros na área de Análise Comportamental e ministra cursos desta natureza por todo o Brasil.

Próxima Turma de Análise Comportamental no Rio de Janeiro: Clique Aqui 

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

SEGURANÇA




 Por João Oliveira
              
           A Análise Comportamental possui várias vertentes que podem ser aplicadas no dia a dia por qualquer pessoa com algum treinamento. Na área de segurança, seja pública ou privada, se torna uma ferramenta muito útil quando direciona nosso foco de observação para possíveis agressores e orienta o comportamento que deve ser seguido para nos sentirmos mais seguros.

               O processo se chama “Leitura Fria” que, nada mais é que a leitura da linguagem corporal. Sabemos que a nossa comunicação verbal não chega a 30% de tudo que passamos para o outro. Na verdade, o corpo diz mais sobre o que pensamos e, como pensamos, do que nossas palavras. Assim, ao observar a movimentação de uma pessoa, seu gestual ou até mesmo como ele se veste e interage com outras pessoas no ambiente, teremos informações valiosas sobre seu perfil comportamental e emocional. Sua intenção pode transparecer antes mesmo que algum ato possa ser feito e isto facilita a abordagem ao suspeito ou, se for o caso, contra medidas de afastamento da provável vítima.

               A outra vantagem de ser conhecer bem a Linguagem Corporal dentro da Análise Comportamental é saber administrar nossas próprias emoções. Controlar é quase impossível, afinal elas são muito rápidas e, quase sempre, imperceptíveis no início para quem as manifesta. Com o treinamento adequado uma mudança de postura corporal pode fazer muita diferença no que sentimos e no que expomos para as pessoas que nos observam. Uma boa postura muda o estado emocional e informa ao ambiente externo nossa condição de disposição. Assim controlando nossa comunicação corporal.

               O olhar deve deixar de ser generalista sobre o plano e cuidar mais dos detalhes. Um exemplo disto é que, para deixar o corpo mais à vontade, despreocupado, devemos ao chegar em qualquer lugar desconhecido cuidar de descobrir a localização de três coisas: banheiros, opções de saídas de emergência e um local onde exista área livre, onde seja possível “ver o céu”.

               O sistema de alerta do corpo se preocupa, mesmo que de forma inconsciente, com algumas variáveis no ambiente e, se você cuidar de dar as informações corretas seus sistemas de defesa irão baixar a guarda e deixar você mais liberado para aproveitar melhor o local onde se encontra. Isto sempre ocorre, mesmo contra a nossa vontade, pois a sobrevivência da espécie é algo instintivo, mais forte que tudo que desejamos ou possuímos.

               Tentar olhar para as pessoas com curiosidade sem, a princípio, muita especulação também é uma boa forma de fazer uma varredura de segurança. Observar itens específicos como bonés, casacos com capuz, pessoas que à distância trocam códigos com olhares. Na verdade parece um manual de paranóia, mas, se feito com tranquilidade, passa a ser uma rotina que lhe trará bons resultados.

               Coisas bem simples como destacar do grupo tudo que é diferente demais ou igual ao extremo, ou seja, fora do padrão, ou ainda, tentar perceber incongruências posturais, do tipo: o sujeito está bem vestido, mas os sapatos estão sujos ou as unhas das mãos mal cuidadas. Estes cuidados podem trazer alternativas de comportamento de sua parte que evitarão um possível evento danoso. Claro que é necessário que você evite movimentos rápidos e giros de 360° no local como se fosse um farol em alto mar. 

               Esqueça, de pronto, todos os estereótipos como: religião, sexo, raça, tatuagens e etc. A atitude deve ser de total isenção pois, quem deseja praticar um ato violento planejado, deve ter tido a cautela de ocultar qualquer símbolo que possa denunciá-lo ou facilitar seu reconhecimento. Somente os iniciantes – às vezes bem mais violentos que os ditos profissionais -  atuam quase que uniformizados para o crime. 

               Um treinamento de poucas horas pode fazer muita diferença na vida de qualquer pessoa. Embora não seja garantia de proteção total, pois, muitas ações são rápidas e não permitem uma avaliação antecipada. Para as tantas outras que enfrentamos nas ruas, bares e situações de convívio com muitas pessoas, a boa análise comportamental serve como uma excelente ferramenta para pessoas comuns e profissionais de segurança.
 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Palestra nesta Quarta às 20h00 - Análise Comportamental Para Segurança Pública e Privada

Palestra Virtual sobre Análise Comportamental em Segurança Pública e Privada 20/11/2013



Nesta quarta, dia 20 de Novembro, estaremos apresentando uma palestra virtual às 20h00.

Tema: Análise Comportamental para Segurança Pública e Privada


Totalmente grátis! Você pode assistir em sua própria casa! Para assistir envie um e-mail para:



Você receberá o link e senha para entrar no auditório virtual!

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

APENAS TRÊS PERGUNTAS


 Por Prof. Msc. João Oliveira

               Pensamos, muitas vezes, naquelas perguntas que perseguem a raça humana desde os primeiros momentos de plena consciência: Quem sou eu? De onde venho? E, Para onde vou? Claro que nenhuma resposta pode satisfazer totalmente aqueles que possuem uma vontade maior de, nesta vida, descobrir todos os mistérios que existem entre o céu e a terra. Acredito que este texto vai perturbar, ainda mais, qualquer possibilidade de respostas diretas e claras.

               Quem sou eu?
Algumas religiões dizem que somos a imagem e semelhança de Deus. Isso nos dá uma condição maravilhosa de termos as mesmas qualidades, porém em diminutas quantidades. Seria como fossemos gota d’água e Deus todo oceano da Terra. Já a ciência aposta em outra direção: somos pulsos elétricos.

               Sim! Dentro de nosso cérebro saltam pequenas faíscas eletroquímicas pelas fendas sinápticas. Esses milhões de sinais que ocorrem em centésimos de segundos ordenam nossas glândulas, órgãos, músculos, constroem nossos pensamentos, personalidade, humor, memória e, tudo isto junto com corpo constitui uma pessoa como eu e você. Pense o seguinte, se tirar um dedo de minha mão ainda serei o João, se arrancar um braço ou uma perna, mesmo assim ainda terei certeza de que sou o João inteiro na consciência. O único problema é se houver algum forte distúrbio no cérebro. Não é assim que definem quando o paciente em coma chegou ao óbito? Morte cerebral! Pois então, somos o que acontece dentro do cérebro.

               De onde venho?
               Está é uma pergunta que possibilita uma viagem incrível nesta especulação textual. Algumas civilizações antigas apostam que viemos de algum lugar próximo a uma constelação chamada Órion. Isso é tão forte que possuímos, em nosso idioma, algumas palavras que incluem Órion em sua formação: Oriundo, Original, Originário, Origem e etc. Não é muito interessante isto? Claro que outras possibilidades também podem ser colocadas, como a Evolução das Espécies do Darwin ou uma construção Divina a partir de uma estátua de barro.

               Para onde vou?
               Essa resposta eu tenho na ponta da língua, ou melhor: dos dedos! Imagine um lago belo e azul. Neste lago mora uma carpa que você acabou de retirar da água. O peixe se debate em suas mãos, embora protegida, ela está nervosa e parece precisar de algo urgente. Entendendo um pouco dos desejos da humanidade você não perde tempo e dá, a carpa, muito dinheiro. Isto não traz paz ao pobre animal que continua a se debater desesperadamente. Na dúvida de qual seria a vontade do animal você a enche de joias, perfumes, mulheres, um carro importado, um smartphone de última geração e, por fim, bebidas e drogas. No entanto, vai se saber porque, a carpa ainda parece lutar contra um inimigo invisível.

               O que será que ela quer?

               O óbvio! Água! Ela necessita voltar para seu ambiente natural, o lago! Assim como nós, apesar das divergências quanto à natureza constitucional, sabemos que sendo alma imortal ou faíscas elétricas (ou os dois juntos) somos – de fato- seres imateriais dentro de um corpo feito de carne e osso! Sim! Justamente por isto, que não há nada neste mundo que possa nos trazer a tranquilidade e a paz total. Queremos, de fato, voltar ao nosso lago imaterial. Seja este ambiente um éter do registro akáshico, inconsciente coletivo, universo de ondas ELFs ou aos braços de nosso Senhor o Criador.

               Enquanto isto não ocorre, ao invés de procurar respostas múltiplas vamos tentar elaborar bem a próxima pergunta.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

O Gênio da Lâmpada e os três desejos




Por Beatriz Acampora e João Oliveira

               Em uma colina, onde o verde se encontra com a mais translúcida água nascente havia uma velha lâmpada mágica esquecida. Seu primeiro dono tinha sido um rei muito sábio e altruísta e a havia utilizado devidamente em situações muito especiais. Contudo, após uma batalha no reino, quase tudo foi destruído, o rei foi deposto e morto e a velha lâmpada ficou entregue aos arranjos da natureza.

               O destino daquela lâmpada mágica estava para ser mudado. Uma mulher lutadora e bondosa caminhava todos os dias na colina para tentar esquecer a dor de ter perdido várias pessoas da sua família com uma doença avassaladora. Naqueles dias, a solitária mulher pedia aos céus que sua melhor amiga não fosse levada pela mesma moléstia.

                Ela se senta para descansar e vê, ao longe, o sol refletir em algo levemente dourado. Sua curiosidade a faz pegar o objeto e ficar muito curiosa quanto à sua utilidade. O brilho real há muito tinha se perdido e o dourado mais parecia ferrugem. Foi quando a mulher decidiu levar a lâmpada para casa e poli-la. Talvez servisse como um objeto de decoração.

               E assim o fez: chegando à casa, logo tratou de polir o objeto e quando a lâmpada estava brilhando de tão dourada, ela a acariciou com suas próprias mãos. Para sua surpresa, um gênio sai explosivamente de dentro da lâmpada e lhe diz: 

               “-Olá, sou o gênio da lâmpada e tu me libertaste! Tem direito a três pedidos, mas ressalto que nem todos os desejos saem exatamente do jeito que pensamos porque existem muitos fatores que influenciam o desejo após ele ser realizado e aquilo que desejamos inicialmente pode não ser exatamente como deve ser de fato. Portanto, escolha muito bem seus três desejos!”

               A mulher, perplexa, só conseguia pensar em uma coisa: salvar a vida da sua melhor amiga. E foi logo desejando: 

               “-Quero que minha melhor amiga seja curada do mal que sofre e que esta maldita doença vá embora!”

               O gênio realizou o primeiro desejo e sua amiga ficou curada. A mulher ficou muito feliz e negociou com o gênio um tempo para fazer os outros dois desejos, enquanto isso ele seria seu convidado em sua casa. E os dois se tornaram bons confidentes.

               Ao final de trinta dias sua amiga ficou muito doente novamente e a mulher se voltou contra o gênio dizendo:

               “-Que tipo de gênio é você? Porque minha amiga ficou doente novamente?”

               O gênio analisou a amiga de sua então confidente e disse:

               “- Essa não é a mesma doença de antes, é de outro tipo, uma moléstia diferente e ainda pior do que a outra, muito mais mortal.”

               A mulher simplesmente respondeu:

               “- Então vamos rápido ao segundo pedido: quero que minha melhor amiga seja curada do mal que sofre e que esta maldita doença vá embora!”

               O gênio, constrangido, tentou explicar que talvez isso não funcionasse da maneira como ela pensava, mas, sem ser ouvido, realizou o segundo desejo. Ele não estava certo do que aconteceria, na verdade ele não tinha um bom pressentimento, pois sabia, mais do que ninguém, depois de tantos milênios de vida, que as pessoas faziam escolhas, assumiam compromissos, acolhiam problemas e criavam suas próprias doenças.

               A mulher já estava muito desconfiada do poder do gênio, embora dentro dela ainda havia a credulidade necessária para fazer um terceiro desejo. Principalmente depois que sua amiga melhorou e elas começaram a passear e a se divertir.

               Todavia, após novos 30 dias, infelizmente, sua amiga caiu muito doente mais uma vez. Agora ela estava ainda pior do que as outras vezes e não conseguia, nem mesmo, se levantar da cama ou andar e, como último pedido em vida, apenas chamou sua amiga para se despedir, dizendo:

               “- Não gaste mais seus desejos comigo! Você tem apenas mais um desejo! Peça algo para você, seja feliz! Eu não quero mais viver, não vejo sentido na vida e você deve me deixar ir!”

               A mulher ficou perplexa com o pedido de sua amiga e, ao ouvir isto, correu para sua casa e tomou uma decisão passional: chamou o gênio e fez seu último desejo:

“-Agora vou fazer meu último desejo, faça o favor de trabalhar direito! Meu desejo é: quero que minha amiga seja curada de todo o mal que lhe aflige e que nada mais a possa incomodar!”

O gênio não titubeou e realizou o último desejo no mesmo instante. A mulher ficou atônita com o que aconteceu: no dia seguinte chegou à notícia que sua melhor amiga havia morrido durante a noite. Ela estava furiosa com o gênio e foi tomar satisfações.

“-Por que minha amiga morreu? Que tipo de gênio você é? Você é do mal? Nenhum dos meus desejos foi realizado! Quero o direito a mais três desejos!

O gênio apenas lhe disse:

“-Tentei lhe avisar, mas você não estava pronta para escutar! Nossos desejos, por melhores que sejam não podem modificar a estrutura de vida das outras pessoas quando o a vontade delas já está consolidada. Muitas vezes os nossos anseios não andam na mesma direção que os desejos das pessoas que amamos e ao impormos nossa vontade ao outro pode haver um choque, pois o outro já fez sua escolha! Sua amiga não queria mais viver e gostava de estar doente, para ela a cura era não estar mais aqui. Mas, para você a cura significava ela estar ao seu lado, saudável e isso não era mais uma possibilidade para ela. Da próxima vez que for tentar ajudar alguém, apenas ofereça seu apoio e deixe que a pessoa lhe diga como quer ser ajudada.”

Dito isso, o gênio foi embora e a lâmpada simplesmente brilhou intensamente, transbordando uma energia de paz que inundou o coração daquela pobre mulher.