PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

13 fatos que devemos saber sobre a mentira:





Por. Prof. Msc. João Oliveira

            Quase sempre os questionamentos que chegam, por e-mail, são sobre a dinâmica da mentira. Numa tentativa de dar respostas elaboramos uma forma didática e pragmática de falar sobre este tema. Aqui estão, portanto, os treze fatos mais importantes que você deve saber sobre a mentira.

1 – A mentira é um ato coorporativo: Sim, embora a pessoa possa mentir para si mesmo, ela só existe se aceitamos, acreditando nela e, na maioria das vezes, estamos dispostos a participar dela. Chama-se mentira social e preenchem uma carência ou insegurança que temos. Assim, somos contra a mentira, mas toleramos socialmente.

2 – Algumas mentiras podem causar sério dano: Nem todas, somente as que visam ocultar algum dano ou tirar vantagem de uma situação. A grande parcela das mentiras que ouvimos é de cunho social e não causam nenhum distúrbio, muito pelo contrário, elas massageiam egos. 

3 – Uma pesquisa revela que mentimos até três vezes em 10 minutos: Isto ocorre, principalmente, quando as pessoas não são muito íntimas. Mentimos mais para estranhos do que para amigos.

4 – Pessoas extrovertidas mentem mais que os tímidos: Pela lógica isso se dá porque elas falam mais.

5 - Homens mentem mais sobre si mesmos do que sobre outras pessoas: uma questão de sobressair na sociedade. Autoafirmação como fazem os gorilas socando o peito.

6 – Mulheres mentem mais para proteger outras pessoas: entra em jogo o instinto maternal, uma séria questão da mulher de ser acolhedora e protetora.

7 – Casais, namorando, mentem a cada 10 interações: Mais uma vez devemos lembrar que são mentiras chamadas sociais, sem nenhum dano. Já os casados mentem a cada três interações quase sempre com o mesmo perfil da mentira. 

8 – Quanto mais inteligente a espécie mais propensa a mentir: se você reparar bem verá que todos os animais domésticos sabem manipular as emoções de seus donos. A gorila Koko, aquela que aprendeu a língua dos sinais, mentiu dizendo que seu gatinho havia arrancado uma pia da parede. Quanto maior o número de recursos cognitivos mais elaborada será a mentira.

9 – É importante estabelecer uma “baseline” antes de qualquer análise: para uma perfeita análise do conteúdo apresentado por uma pessoa é necessário, antes, conhecer o ser comportamento em uma situação neutra, sem estresse. Por isto, antes de qualquer questionamento a uma pessoa é preciso fazer “perguntas de controle” aquelas onde você sabe que ele responderá sem mentir.

10 – O estado emocional pode dificultar uma boa interpretação: tanto de quem fala quanto de quem observa. O analista deve estar calmo, sem alterações emocionais, e o sujeito propenso a mentir não pode estar sobre pressões extremas. É um erro pensar que sob tortura alguém irá dizer somente a verdade.

11 – Estão fora do processo de análise: sociopatas, psicopatas, mitômanos, quem não sabe que está mentindo, bons atores e portadores de doenças mentais.

12 – O afeto prejudica a percepção da mentira: se você possui afeto por alguém não terá plenas condições de fazer uma análise perfeita. Quanto maior o afeto pior será a análise.

13 – E o mais importante fato: para mentir de forma convincente: sorria! O cérebro foi preparado para dar preferência de interpretação ao sorriso. Diante de um belo sorriso nossos sistemas de defesa se desarmam com facilidade. Um bom mentiroso sabe disto e usa do bom humor sempre que vai construir uma mentira convincente.

            Nossos Treinamentos de Análise Comportamental podem ter sua agenda consultada no site http://www.isec.psc.br . Tenha sempre na cabeça a ideia que o importante é saber o que está por trás da mentira e não apenas descobrir se as pessoas mentem. Afinal, todos mentem!

Nenhum comentário: