PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sábado, 23 de março de 2013

RH e comunicação




Por. Prof. Msc. João Oliveira

A comunicação é um recurso poderoso na área de RH. Precisamos estar atentos a tudo o que o outro quer nos revelar com sua fala, com seu gestual e com sua linguagem corporal. Uma boa comunicação nos permite avançar em todas as áreas de RH.

No processo seletivo, precisamos ser claros quanto ao que esperar do candidato, quais as competências serão avaliadas e como essa avaliação ocorrerá. A própria equipe que organiza o processo seletivo deve estar bem entrosada, com uma comunicação adequada, para que todas as informações necessárias acerca das características da vaga disponível e do candidato a preenchê-la circulem claramente entre o setor de RH (staff) e a gerência (linha).
Uma boa comunicação também deve ser considerada nas técnicas de seleção: provas de conhecimento (oral e escrita), aplicação de testes psicológicos, simulação - dinâmicas de grupo, entrevista(s). Quando o selecionador é claro e oferece a oportunidade de feedback, a tendência é que o(s) candidato(s) fique(m) mais à vontade e participe(m) ativamente do processo seletivo.

No treinamento e desenvolvimento de pessoal, na avaliação de desempenho e em todos os aspectos que envolvem a área de RH, a comunicação deve ser valorizada. Isso porque o modo como as empresas vêm lidando com seus colaboradores incentiva a participação e a interatividade com o processo organizacional como um todo, apreendendo as pessoas como as verdadeiras promotoras do crescimento pessoal e organizacional.

Se antes tínhamos empresas altamente burocráticas, com modelos de gestão verticalizados, hoje temos empresas em que as pessoas participam diretamente do desenvolvimento organizacional e têm participações nos lucros, conforme sua produtividade, a comunicação se dá de forma horizontal e transversal, cruzando os mais diversos setores. As novas tecnologias permitiram um grande desenvolvimento da comunicação integrada nas empresas, que não devem utilizar a informação meramente como um recurso para tocar os colaboradores. É preciso uma comunicação efetiva.

Mas, então, qual a diferença entre comunicação e informação? Informação diz respeito aos atos de transmitir uma notícia, de dar instruções, oferecer um ensinamento, uma opinião sobre o procedimento de alguém, um parecer técnico. A comunicação, por sua vez, implica em relação. Nela também está contida a informação, inserida na mensagem que o receptor quer transmitir, contudo, há uma amplitude maior. A comunicação é o processo pelo qual ideias são transmitidas entre pessoas, tornando possível a interação social. Uma campanha de exame médico periódico na organização é um tipo de divulgação, que leva uma determinada informação. Já a construção de um saber, de um novo produto, de avaliações necessárias à organização, depende da participação de todas as partes envolvidas no processo, de feedback.

Nesse aspecto, podemos inserir o tema da comunicação assertiva nas organizações e sua importância para toda a organização e, principalmente, para a área de RH, que deve estar atenta aos modos como as pessoas das mais diversas áreas se comunicam, em prol dos objetivos pessoais e organizacionais, que devem estar afinados.
A comunicação assertiva é o tipo de interação humana que valoriza a troca, o intercâmbio e o feedback entre as pessoas. Ela deve ser afirmativa, positiva, incitar reflexão e ação. A palavra assertiva implica em veracidade, em proposições afirmativas. A assertividade é a arte de utilizar as palavras como promotoras de construção. Ser assertivo é se comunicar de maneira franca, sem provocar constrangimento. É o exercício do feedback constante em que emissor e destinatário são próximos, pois há uma troca constante de papéis.

O grande ponto a ser ressaltado na comunicação assertiva é o modo como a informação é concebida e gerada. Se ela não pode ser transformada, tocada por todos e valorizar a compreensão, contribuição e proatividade, então, ela cumpriu um simples papel: saiu de um ponto e chegou a outro, o que, em alguns casos, é necessário dentro de uma organização. Mas é preciso ressaltar que quem constrói uma determinada informação são as pessoas que estão em determinado processo na organização.

A comunicação assertiva também engloba a atenção, um olhar cuidadoso para as relações construídas e, dessa forma, se pode, verdadeiramente, tocar a todos, evitando os processos de exclusão na organização. Quando duas pessoas saem de casa para trabalhar e apenas recebem informações, sem interação e comunicação com feedback, cada uma delas volta para casa com uma ou algumas informações, mas, quando duas pessoas trocam ideias no ambiente de trabalho, discutem um determinado assunto, refletem, elas voltam para casa com uma troca espetacular que promove saber e crescimento, que tem um impacto direto nas organizações.


Texto Publicado na Revista PSIQUE  Número 86


Para saber mais em nossos cursos e treinamentos presenciais e on line:

Nenhum comentário: