PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Comitiva chinesa visita a obra do porto do Açu -SJB


Uma comitiva chinesa formada por 100 empresários e pelo vice-ministro do Comércio da China, Jiang Yaoping, irá visitar as obras do Superporto do Açu no dia 16, próxima sexta-feira.

A visita é parte do evento “Investindo no Rio de Janeiro: Superporto do Açu – Porta de entrada do Brasil para as empresas chinesas”, que será realizado pelo Grupo EBX em parceria com o Ministério do Comércio da China, Câmara Chinesa do Comércio para Importação e Exportação de Maquinários e Produtos Eletrônicos e Strategus Consultoria. O objetivo do encontro é apresentar o Superporto do Açu como alternativa para instalação de empresas chinesas no Brasil.

Desenvolvido pela LLX, empresa de logística do Grupo EBX, o Superporto do Açu é um terminal portuário privativo de uso misto que está em construção desde outubro de 2007 em São João da Barra, no norte fluminense.

Além de executivos da LLX e do Grupo EBX, também participarão do evento representantes do Governo do estado do Rio de Janeiro e do município de São João da Barra. A comitiva representa 65 empresas de segmentos como petróleo, energia, tecnologia e siderurgia, entre outros.

Na mesma data o controlador do Grupo EBX e presidente do Conselho da LLX, Eike Batista, assinará um Acordo de Parceria Estratégica com a Wisco, terceira maior siderúrgica da China.

O acordo reafirma os principais termos e condições, divulgados em Fato Relevante ao mercado em 30 de novembro de 2009, para a construção e operação de uma planta siderúrgica no Complexo Industrial do Superporto do Açu. De acordo com o documento, a EBX deverá deter 30% e a Wisco 70% desta planta siderúrgica, que terá capacidade inicial para produção de 5 milhões de toneladas de produto por ano.

O evento de assinatura será em Brasília e contará com a presença dos presidentes do Brasil e da China.

Conheça o Superporto do Açu
O Superporto do Açu possui um projeto inovador, que utiliza modernas práticas de engenharia, construção e operação, que será comparado aos mais modernos e eficientes portos do mundo existentes na Ásia e na Europa.

No total serão investidos R$ 4,3 bilhões no Terminal Portuário Privativo de Uso Misto do Açu, sendo R$ 1,9 bilhão pela LLX Minas-Rio (responsável pela implantação do terminal portuário dedicado ao minério de ferro) e R$ 2,4 bilhões pela LLX Açu (responsável pela operação das demais cargas como produtos siderúrgicos, carvão, granéis líquidos e granito).

A LLX já possui cerca de 60 memorandos de entendimento assinados e/ou em negociação com empresas que querem se instalar ou movimentar cargas no Superporto do Açu.

Entre eles está o acordo de cooperação com a Wisco, terceira maior siderúrgica da China, assinado com a EBX em novembro de 2009 para associação entre as duas empresas para a construção e operação de uma planta siderúrgica integrada no Complexo Industrial do Superporto do Açu. A previsão é que a siderúrgica tenha capacidade inicial para produção de 5 milhões de toneladas de produtos por ano, com a possibilidade de aumento nos próximos anos.
Além disso, a LLX também assinou acordos comerciais com a Camargo Correa Cimentos e com a Votorantim Cimentos para a implantação de unidades industrias para a produção de cimento no Complexo Industrial do Superporto do Açu.

Características
Com área de 9 mil hectares e construção iniciada em outubro de 2007, o Superporto do Açu será uma nova alternativa para o escoamento da produção dos estados do centro-oeste e sudeste do país, que atualmente sofrem com gargalos logísticos.

Com profundidade de 18,5 metros, e possibilidade de ampliação para 21 metros, o Superporto do Açu terá capacidade para receber navios de grande porte com fretes mais competitivos. Além disso, o empreendimento também contará com uma ponte com 2,9 quilômetros de extensão (que ligará a costa aos píeres para atracação de navios) já concluída, e estrutura offshore com 10 berços para movimentação de produtos como minério de ferro, petróleo, produtos siderúrgicos, carvão e granéis sólidos.

Projetado no conceito porto-indústria, o Superporto do Açu possui também uma retroárea para estocagem de produtos que serão movimentados, além de um complexo industrial contíguo que abrangerá siderúrgicas, usina termoelétrica da MPX (empresa de energia do Grupo EBX), cimenteiras, pólo metalmecânico, usinas de pelotização de minério, unidade de tratamento de petróleo entre outros.

Também serão oferecidos serviços complementares prestados por empresas especializadas, como expedição, integração intermodal, armazenagem e desembaraço aduaneiro.

A previsão é que sejam movimentadas 60 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, além de 46,4 milhões de m3 de petróleo, 10,2 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos, 12,6 milhões de toneladas de carvão e 5 milhões de toneladas de granéis sólidos.

O início da operação do Superporto do Açu está previsto para o início de 2012.

Os dados acima constam do Estudo de Viabilidade Econômico-Financeiro da LLX elaborado pela VERAX Consultoria .

Geração de emprego
A LLX já concluiu a 1º etapa do Programa de Qualificação de mão-de-obra em São João da Barra. Oferecido em parceria com o Senai e com a Prefeitura da cidade, o programa formou 440 alunos em cursos como mecânica, operadores de empilhadeira, técnicos hidráulicos, soldadores, pedreiros, almoxarifes, carpinteiros, armadores de ferro e assistentes administrativos. A previsão é que a 2º etapa seja iniciada no segundo semestre deste ano.

Quando o porto e o Complexo Industrial estiverem funcionando, a previsão é que sejam gerados cerca de 50 mil postos de trabalho. Além disso, a estimativa é que o Superporto do Açu irá atrair US$ 36 bilhões em investimentos para a região. Atualmente, cerca de 2 mil pessoas trabalham atualmente na construção do porto.

Os dados constam na Avaliação Ambiental Estratégica, estudo realizado pela Consultoria Arcadis Tetraplan, que simulou a ocupação da área industrial e seus respectivos impactos. O relatório contribuirá para o planejamento regional, já que identifica os investimentos necessários para atender a demanda. O estudo já foi apresentado aos Governos Estadual e Municipal.

Perfil e projetos
A LLX, empresa de logística do Grupo EBX, foi criada em março de 2007 com o propósito de prover o país com infraestrutura e competências logísticas, principalmente no setor portuário. Seus projetos possuem localização estratégica e profundidade adequada aos maiores navios, utilizando a mais moderna tecnologia portuária. Isso resulta em operações eficientes e de baixo custo.

Atualmente a empresa desenvolve dois projetos: Superporto do Açu, em São João da Barra, e Porto Sudeste, em Itaguaí - ambos no estado do Rio de Janeiro.

O Porto Sudeste é um Terminal Portuário Privativo de Uso Misto, dedicado a movimentação de minério de ferro, que será instalado na Ilha da Madeira, em Itaguaí (RJ). Estrategicamente localizado, o Porto Sudeste representa a menor distância entre os produtores de Minas Gerais e o oceano. A construção do empreendimento será iniciada ainda no primeiro semestre deste ano e a previsão é que a operação aconteça no final de 2011.

O empreendimento terá área de 52 hectares, profundidade de 21 metros e estrutura offshore com dois berços de atracação para navios. O investimento previsto é de R$ 1,8 bilhão para movimentação de 50 milhões de toneladas por ano, com possibilidade de expansão para 100 milhões de toneladas.

Nenhum comentário: