PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sábado, 31 de outubro de 2009

CIRCUITO VÊNUS, 3ª ETAPA Beatriz Acampora já está na concentração


Do site de Notícias Ururau, siga o link no Título.

Beatriz Acampora já retirou seu kit para a corrida deste domingo (1°/11)
O CIRCUITO VÊNUS - 2ª ETAPA - RIO DE JANEIRO, será realizado no domingo, dia 01 de novembro de 2009, com a representante de Campos, a atleta Beatriz Acampora, que já retirou seu kit neste sábado (31/10), para correr no domingo. A carioca Beatriz, que reside em Campos há 16 anos, conquistou um expressivo resultado no último dia 11 de outubro na Etapa da Primavera do Circuito das Estações Adidas, no Aterro do Flamengo, em percurso de 10 km e percorrendo bairros como a Glória e Botafogo.

Beatriz que correu pela equipe da Fama Assessoria, chegou na 5ª colocação, com o tempo de 45m41s85 em sua categoria (35/39). Cerca de 13 mil competidores participaram da prova, em que Beatriz completou na classificação geral na 263ª posição e na 22ª entre as mulheres.

A largada da prova será às 8h00, na Av. Infante D. Henrique, em frente ao pavilhão 1 da Marina da Glória, localizada no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, com qualquer condição climática. Poderão participar da corrida somente atletas do sexo feminino, regularmente inscritas de acordo com o Regulamento Oficial da prova;

A Corrida será disputada na distância de 5 km e 10 Km, com percurso aferido pela Confederação Brasileira de Atletismo, que será amplamente divulgado no site http://www.circuitovenus.com.br. A prova terá a duração máxima de 2 (duas) horas e a atleta que em qualquer dos trechos não estiver dentro do tempo projetado, será convidado a se retirar da prova. A supervisão técnica será da Federação de Atletismo do Estado do Rio de Janeiro, com organização da Iguana Sports.

O CIRCUITO VÊNUS - 2ª Etapa - Rio de Janeiro e 3ª Etapa Nacional, será disputado exclusivamente na categoria INDIVIDUAL FEMININO, onde cada atleta correrá 5 Km ou 10 Km. Serão desclassificadas todas as atletas que não observarem a formação acima descrita;

Conforme a determinação da Confederação Brasileira de Atletismo, a idade MÍNIMA para atletas participarem de corridas de rua é de 16 (dezesseis) anos, com as seguintes restrições:

a) Atletas com 16 e 17 anos de idade NÃO podem participar de provas com percurso igual ou superior a 10 km.

b) A idade a ser considerada, obrigatoriamente, para os efeitos de classificação por faixas etárias é a que o atleta terá em 31 de dezembro do ano em que for realizada a prova.

c) Os atletas menores de 18 anos só poderão participar da CORRIDA de 5 Km, obrigatoriamente com autorização por escrito com firma reconhecida do pai ou de um responsável legal. A autorização deverá estar acompanhada de cópia de um Documento de Identidade que será retido pela organização no momento da retirada do kit;


O QUE É O CIRCUITO VÊNUS?

O Circuito Vênus - Corrida para Mulheres é um evento de corrida e yoga exclusivo para o público feminino. Começou em 2008 no Jockey Club em São Paulo com 2.500 inscritas, ao longo daquele ano ocorreram outras duas etapas (RJ e SP), onde o número de participantes aumentou chegando a 3.200. O grande diferencial desse circuito é o Lounge Vênus, que fica à disposição durante o fim de semana da corrida. Neste espaço acontecem palestras e bate-papos com convidados da Revista Prana Yoga Journal, profissionais em corrida, yoga e outras especialidades, sempre relacionadas ao universo da prática de atividade física, saúde e bem estar. Outros mimos oferecidos são práticas de yoga, massagens, testes de pisada e diversos outros serviços. Em 2009 será composto por quatro etapas, duas em São Paulo e duas no Rio de Janeiro, com provas de 5 ou 10 Km.
DATAS DAS PROVAS:

*Etapa 1 - SÃO PAULO - 7 (retirada de kit) e 8 de março (corrida)
*Etapa 2 - RIO DE JANEIRO – 25 (retirada de kit) e 26 de abril (corrida)
*Etapa 3 – RIO DE JANEIRO – 31 de outubro (retirada de kit) e 1° de novembro (corrida)
*Etapa 4 – SÃO PAULO – 14 (retirada de kit) e 15 novembro (corrida)


**CIRCUITO VÊNUS - CORRIDA PARA MULHERES
*ETAPA 3 RIO DE JANEIRO

DATA:1° de novembro
LOCAL: Marina da Glória - Av. Infante D. Henrique, s/nº - Aterro do Flamengo
PERCURSO: 5 e 10K
HORÁRIO DE LARGADA: 8h00
HORÁRIO DE RETIRADA DO CHIP: DAS 6H30 ÀS 7H30

INSCRIÇÃO INDIVIDUAL: - R$ 70,00 (até 31 de agosto), R$ 75,00 (até 30 de setembro) após essas datas R$ 80,00.


**KIT DA CORREDORA:
CAMISETA DE POLIAMIDA
CAMISETA DE FINISHER
ECO BAG
MEDALHA PINGENTE DE CRISTAIS

:: RETIRADA DO KIT:

DATA:31/outubro
LOCAL: Marina da Glória - Av. Infante D. Henrique, s/nº - Aterro do Flamengo

HORÁRIO: das 9:00hs às 18:00hs
RETIRADA DE KIT COM:
MASSAGEM
PRÁTICA DE YOGA
CUIDADOS COM O CORPO
PALESTRAS

É necessária a apresentação do protocolo de retirada, acompanhado de um documento original com foto. Se desejar que outra pessoa retire o seu kit e número de peito, deverá preencher e assinar o item "Autorização de Retirada por Terceiro" e anexar ao protocolo de retirada uma cópia do seu documento de identidade.


:: PREMIAÇÃO
TROFÉUS E KITS EXCLUSIVOS DOS PATROCINADORES.
KIT PARA AS 5 PRIMEIRAS COLOCADAS DA CATEGORIA GERAL NOS PERCURSOS DE 5 E 10K

Circuito Vênus

Muita gente retirando os kits da corrida

Retirada do Kit para a corrida Venus

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Grupo 05 Metodologia e Pesquisa em Psicologia - Ética em Pesquisa

Grupo 04 Metodologia e Pesquisa em Psicologia - Ética

Grupo 01 Expressao das Emoções

Grupo 02 neuro emoções

Julio Lopes anuncia: Quero recuperar a malha ferroviária no Estado


O secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, se reuniu nesta semana, com empresários de uma das principais fornecedoras de equipamentos e tecnologia de locomotivas especiais do mercado internacional, a alemã Shalke. Com 135 anos de experiência, e operando na Ásia, Europa, EUA e África, a empresa que fabrica trens especializados em manutenção de vias permanentes está direcionando esforços para entrar no ramo de transportes ferroviários brasileiro. O Rio, depois de vencer a disputa pela sede das Olimpíadas 2016 tornou-se alvo principal.
No encontro, eles apresentaram seu mais novo projeto: uma locomotiva de alto desempenho, considerada a mais moderna do mercado, e que pode atender tanto à demanda de carga quanto a de passageiros. O trem consome 15% menos combustível, requer muito menos manutenção e garante baixa emissão de ruído.
Impressionado com a tecnologia que está sendo implementada na construção dessa locomotiva, o secretário Julio Lopes, disse que essa é uma grande oportunidade para apresentar a Shalke à empresas como FCA e MRS, operadores ferroviários.
- Vamos promover encontros com os principais operadores ferroviários do país para que a Shalke possa apresentar seu know how e, quem sabe, fazer negócio. Além disso, estamos estudando a possibilidade de adquirir trens de carga para circular na linha férrea que será recuperada para ligar as duas maiores âncoras de carga do estado, o complexo do Comperj e o Porto do Açu. Carros modernos, dotados da melhor tecnologia existente, além de mais econômicos, são fundamentais para o sucesso do nosso projeto. Meu interesse é poder retomar e colocar novamente em uso a malha ferroviária fluminense,dentro das possibilidades, e com o menor custo possível claro. – conta Julio Lopes.
A Shalke, recentemente, ganhou a concorrência para fazer a manutenção das vias permanentes do sistema metroviário de São Paulo. A empresa também é conhecida no mercado brasileiro devido a sua forte atuação no setor siderúrgico. A companhia é a que mais vende máquinas para a coqueificação do carvão mineral, matéria prima fundamental no processo de produção do aço. Entre os principais clientes da carteira da Shalke no ramo da siderurgia está a CSN.
Até o fim desse mês, o secretário Julio Lopes se comprometeu em agendar o encontro dos empresários com das principais empresas do sistema metro ferroviário fluminense. Entre elas, Supervia e Metrô Rio, para que a Shalke possa apresentar sua expertise na produção de locomotivas de alto desempenho, ou até mesmo transferir sua tecnologia para as empresas brasileiras.

Foto: Fábio Ferreira

Primeira boneca da Emília fabricada em 1952 pela estrela

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Grupo 04 em Atividade de Neurolinguística

Grupo 04 - atividade da matéria de Neurolinguística

Grupo 02 - sexto período de psicologia do Isecensa, Atividade de Neurolinguística

Fenômeno UFO : CASO DESVENDADO DE GARGAÚ



No dia 2 de janeiro de 2004, uma sexta-feira, recebi um telefonema nervoso de um amigo, a Rádio Litoral estava noticiando uma aparição de OVNI em Gargaú. O repórter Antonio Cláudio (que na verdade não viu nada) foi abordado por várias pessoas que afirmaram terem visto luzes estranhas no céu.Gargaú, Santa Clara, Sossego, Manguinhos, Guaxindiba, Atafona e Grussaí... a lista de pessoas que fizeram contato com a rádio confirmando a história era impressionante. Algo realmente estava acontecendo !
Na segunda feira, já no meu Programa , o De Olho Na Cidade coloquei em questionamento o fato. E mais uma vez uma penca de pessoas se manifestou afirmando terem visto as luzes em formado de uma flor que se abria e fechava nas baixas nuvens do dia 2, por falar nisso, nesse dia estava chovendo na maioria das praias. É bom que se registre que a distância de orla em que as luzes foram vistas está acima dos 20 Kms de extensão.
Mistério no ar!Uma equipe de um jornal de Campos se deslocou até São Francisco e foram a praia de Gargaú. Lá (tem até foto) um pescador foi entrevistado e contou como o fenômeno lhe pareceu: - Algo de outro mundo, possivelmente.
Na terça pela manhã bem cedo, 6h30, liguei para a nossa equipe de reportagem, o Antonio Cláudio e o Renato pedindo que fossem ao local, mas que procurassem em Santa Clara algum tipo de projetor de show. Uma pessoa tinha dito que as luzes pareciam sair do solo, e que entre os pingos de chuva era possível ver o rastro de luz.
Depois de perguntar a mais de vinte pessoas que não sabiam de nada e já quase no caminho de casa eles avistaram no alto de um prédio uma capa amarela (para proteger da chuva) num formato suspeito. Estava solucionado o mistério.
O restaurante e pizzaria Empório do Sabor colocou esse projetor para chamar a atenção dos prováveis clientes, mas como o aparelho puxa muita luz eles só ligam de vez em quando. Era a estréia ! E que estréia ! Agora parece que todo mundo sabe onde fica a pizzaria.
Bom, vamos as ocorrências : durante aparição da luzes teve gente que levou galinhas para dentro de casa; uma família inteira foi para o posto da policia; a igreja lotou; um amigo nosso teve diarréia nervosa; Gargaú tem assunto para um mês de conversa de bar.Mais um caso desvendado ! Paralelo a isto recebemos a informação que, no mesmo momento em que as luzes eram vistas, a base área de São Pedro da Aldeia enviou três aeronaves (Tucanos) para reconhecimento. Só espero que não tenha sido por causa do “objeto” de Gargaú.









Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 18/01/2004

domingo, 25 de outubro de 2009

Fenômeno UFO : CASO PONTE BARCELOS MARTINS



Este caso nos foi relatado por dois amigos comerciantes em Campos. No final da década de 60 os dois estavam com mais um grupo de amigos saindo do Automóvel Clube, onde havia acontecido um dos “convívios” (bailes de domingo), e estavam atravessando a Ponte Barcelos Martins, a pé, no sentido do centro para Guarús, quando perceberam uma luz sobre o Rio Paraíba do Sul.
No primeiro momento eles não tiveram medo, pois pensaram que era um balão fora de época, mas depois foram percebendo que a luz tinha um formato, parecia um prato, um pires: um disco voador !
Os dois relatam que permaneceram na ponte, parados escondidos atrás de uma das pilastras, esperando a luz passar por cima da ponte. O objeto passou bem devagar e silenciosamente. Já passava da meia noite e aproximadamente vinte pessoas, todas vindas do mesmo baile, estavam atravessando a ponte naquele momento e, ainda segundo os dois, algumas correram e outras se protegeram embaixo das travessas de metal da estrutura da ponte Barcelos Martins.
Mais de cinco minutos de passaram desde o início da aparição, nenhum dos dois se lembra direito de como a luz sumiu. Não sabem disser se ela subiu ou se continuou na trajetória sobre o rio Paraíba. A verdade é que o assunto durou mais de uma semana na época, pois quase todos que viram o objeto estavam saindo do baile e moravam no mesmo bairro.

Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 05/01/2004

Bom dia com Krishna!

sábado, 24 de outubro de 2009

Fenômeno UFO : CASO MORRO DO ITAOCA



Este caso se passou nas imediações do Morro Itaoca, um local bem afastado e quase sem moradores bem próximo a Lagoa de Cima. Wanderley tem vinte e poucos anos e estava indo, de bicicleta, para um comício político quando percebeu uma luz vindo em sua direção.
Era noite, por volta das 20h, e estava tudo calmo, sem nenhum ruído, Wanderlei percebeu que a luz não era uma estrela pois estava se movendo a baixa altitude, no máximo uns cem metros, ele teve certeza desse valor pois tinha como comparar com o Morro Itaoca que estava ao lado.
Wanderlei resolveu mudar de direção para não se encontrar de frente com a tal luz, vez a volta e começou a acelerar a bicicleta. Isso deve ter chamado a atenção da tal luz pois imediatamente o objeto aumentou de velocidade e partiu para cima do Wanderlei. Nem é necessário imaginar que neste momento o Wanderlei seria acpaz de ganhar qualquer competição de ciclismo. O Objeto ficou pairando sobre Wanderlei enquanto ele colocava toda sua força no pedal, um ruído (Zump – Zump – Zump ) parecia vir do objeto, que ao olhar para cima, ele teve a certeza que o objeto não era deste mundo.
Durante uns quinze minutos foi só desespero. Quando Wanderlei dobrou a pequena estrada que dava para sua casa a luz seguiu um caminho diferente, indo na direção do Morro Itaoca, deixando-o em paz. Em paz nem tanto ! Mas não foi só ele que viu, duas meninas que moram ali mesmo na localidade também viram todo o show, só não sabiam que o Wanderlei estava em baixo tentando salvar a própria pele.
Perguntei ao Wanderlei se ele acreditava que o objeto, caso pretendesse, poderia te-lo ultrapassado em velocidade, afinal uma bicicleta não corre tanto assim, a resposta foi a óbvia : “- Acho que ele queria mesmo era me assustar !”.
Se você teve uma experiência deste tipo : incrível , fantástica ou extraordinária ! Não perca mais tempo, entre em contato !

Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 28/12/2003

Fenômeno UFO : CASO FOCO NO MAR DE GRUSSAÍ



Fevereiro de 2002, início do mês, provavelmente um sexta feira, o Sr. Félix Silveira estava chegando a sua casa de verão em Grussaí. Logo na entrada encontrou dois amigos, os dois pertencentes à polícia militar (Tenente e Sargento), na conversa os três entraram e ficaram sentados nos fundos da casa do Sr. Félix, eram quase oito horas da noite.
O primeiro a ver algo no céu foi o Tenente, ele apontou para uma luz muito forte que vinha da direção de Campos no sentido praia ou seja, de oeste para leste. Lógico que o primeiro pensamento foi que era um avião voando muito baixo, mas o objeto passou por sobre a casa sem emitir um único ruído.
Todos correram para frente da casa que dava para o mar. O objeto parou, a uns quinhentos metros dentro do mar, e projetou uma luz cilíndrica, muito forte e que não se espalhava. Segundo o Sr. Félix, a luz não iluminava em volta, somente na área onde estava projetada. Rapidamente, uns dois ou três segundos, a luz se apagou e o objeto saiu numa velocidade inimaginável em direção ao horizonte onde desapareceu.
Toda ocorrência não durou mais de quatro minutos, mas foi vista por dois policiais e o Sr. Félix e outras pessoas que também presenciaram o fato. Ao todo, pelo menos, dez testemunhas tiveram a oportunidade de ver o fato incrível e que não deixa dúvida quando a natureza desconhecida. O problema é que, as outras testemunhas viram o mesmo fato, mas em outros dias !!!!!
Parece, portanto que existe certa regularidade neste processo de vir de Campos, parar no mar, lançar a luz e seguir em frente. Quem se habilita para uma vigília noturna em Grussaí ?
Mais um caso fantástico, incrível e extraordinário sobre aparições de UFOs na região do norte fluminense. Se você teve uma experiência deste gênero e gostaria de compartilhar conosco, escreva para oliveira@joaooliveira.com.br .

Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 14/12/2003

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Fenômeno UFO : CASO GABI “O Encontro”




Este caso talvez seja o mais complexo de todos já apresentados aqui neste espaço. A Gabi é uma jovem de vinte e poucos anos e no ano passado, no mês de Fevereiro, ela teve o maior “encontro” da sua vida.
Gabi não estava se sentindo bem naquele dia pois estava fazendo um processo de jejum, seguindo uma metodologia espiritual, e estava muito cansada mas sabia que isso fazia parte do tal processo. A noite, tipo 22h00min, ela sentiu uma presença na casa no bairro do Jockey, em Campos/RJ. Como estava sozinha e seus parentes estavam para chegar ela nem se preocupou em levantar para verificar.
Mesmo se Gabi quisesse se levantar já não poderia. Ela percebeu que estava flutuando sobre a cama e que no quarto algumas figuras humanóides se aproximavam dela. A luz estava apagada, mas a claridade que entrava pela janela fazia os contornos dos invasores se transformarem em formas assombrosas. Ela sentiu medo, muito mais que medo, Gabi estava apavorada.
Quem seriam essas criaturas ? O que poderiam fazer com ela ? Seu cérebro tentava achar uma explicação lógica para aquela situação, mas o pavor não deixava que ela raciocinasse direito.
Tentou gritar. Não conseguiu. Tentou chutar, bater, correr... mas nem conseguia fechar os olhos, ela estava completamente paralisada !
Um dos invasores, o que parecia estar no comando, fez surgir nas mãos um enorme instrumento que parecia uma seringa. Ele enfiou a agulha abaixo do queixo da Gabi. Ela sentiu muita dor e conta que percebeu o metal da agulha cruzar sua boca e atingir alguma parte por baixo do nariz, próximo ao meio dos olhos. Uma dor, segundo ela, indescritível!
Não satisfeito o Ser continuou a enfiar aquele instrumento em várias partes do corpo (neste momento do relato Gabi começa a me mostrar as marcas da agulha visíveis nas pernas, braços, queixo e etc.) como se estivesse fazendo algum tipo de tratamento ou recolhendo amostras de tecido ou sangue.
Ela não sabe quanto tempo a tortura durou pois desmaiou ou foi sedada. Acordou de madrugada, já com todos os seus parentes em casa, e com muita dor nos locais onde o invasor fez as incisões. Está tudo anotado em seu diário, tem as marcas no corpo, não se incomoda de contar sua história para os mais íntimos, mas teme a discriminação das pessoas que podem achar que tudo não passou de um delírio.
Por que ela foi escolhida? Essa pergunta não sai de sua cabeça. Gabi ainda reside na mesma casa, dorme no mesmo quarto, mas nenhum outro “encontro” aconteceu, nem mesmo nos seus pesadelos.

Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 21/12/2003

Fenômeno UFO: Caso Estrada da Praia de Atafona




Esse evento aconteceu no ano de 2002, mais precisamente no mês de janeiro, numa noite qualquer, as três horas da madrugada.
A pessoa em questão não quer se identificar publicamente, ele é um empresário de sucesso no ramo de combustíveis em Campos/RJ, mas conta uma história incrível que merece destaque em nossa coluna (blog).
Depois de fazer um lanche em Atafona, praia do litoral de São João da Barra-RJ, o rapaz pegou seu carro e saiu, seguindo pela estrada Atafona – Campos (BR 356).
Logo após passar por São João da Barra ele percebeu uma luz estranha seguindo o carro. A principio não se incomodou pois pensou se tratar de um carro, mas ele notou que a luz subia e descia isso o deixou muito perturbado.
Ainda sem saber o que seria de fato aquela luz ele aumentou a velocidade para se livrar do forte reflexo no retrovisor. Neste momento a luz aumentou de velocidade e pairou sobre seu carro.
O medo tomou conta e ele apavorado apertou mais fundo o acelerador do carro chegando a velocidade de 160 Kms/h.
Naturalmente que a luz, agora já mostrando a sua forma circular e outras cores cintilantes, nem se importou com isso, e continuou pairando sobre ele como que estivesse parada.
O desespero tomou conta dele que pensou na possibilidade de ser abduzido (raptado para o alto, o contrário, ser levado para baixo é aduzido), mas num piscar olhos a “nave” tomou a dianteira e ganhou velocidade numa ascendente desaparecendo em seguida.
Hoje com 36 anos de idade o empresário, que é uma pessoa séria, jamais inventaria tal história. Entendo porque não quer seu nome revelado, ele está temendo as reações de amigos e funcionários que poderiam “brincar” com tal situação.
Somente ele sabe que sentimentos atordoantes enfrentou naquela madrugada, ainda hoje ao relatar a história pode-se notar o suor que escorre em seu rosto mostrando seu estado de tensão, só em lembrar do ocorrido.
Se você também viveu uma situação inusitada, se o fato pode ser considerado Incrível, Fantástico ou Extraordinário não deixe que fique no esquecimento. Mande um e mail. Vamos tentar registrar todas as ocorrências da nossa região, você não foi o único a viver uma experiência fora do comum ! Escreva para: oliveira@joaooliveira.com.br .


Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 07/12/2003

HINO DE CAMPOS

Grupo 06 Neurolinguística - Sexto Período - ISECENSA - Curso de Psicologia

Grupo 06 de Neurolinguística - Sexto Período

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Fenômeno UFO: Caso Edson Wander

Mais um caso complexo de avistamento de objeto voador não identificado: UFO!
Neste, em especial, detalhes surpreendentes pois episódio deixou provas materiais de efeito físico com metais retorcidos!
Edson Wander, profissional de comunicação, residente, na ocasião no bairro de Guarús (Campos-RJ) é o próprio narrador desta história e nos fala dos momentos incríveis que viveu naquela noite! "- Era uma noite de belas estrelas e sem lua, mas com um calor medonho! Uma quinta feira bem tranqüila, mas eu já estava bem cansado do dia.Fui pegar minhas duas filhas na casa da avó, pois a mãe delas estava de resguardo da minha terceira filha que acabara de nascer. Cheguei em casa as 23:58h. Coloquei as duas meninas para dormir e me deitei.


No meio da noite acordei com uma forte "luz" que vinha em minha direção pois tinha deixado a janela e porta do quarto abertas. No momento em que vi a luz fiquei como que anestesiado sem poder me mover. Por alguns instantes percebi que desciam do meio da "luz" vultos luminosos, mas não tinha como definir o que realmente era.
Tentei pegar uma das meninas que estava mas próxima da "luz", foi quando num piscar de olhos e um rápido zigue zague a "luz" se foi.
No quarto nós tinhamos uma cortina e o ferro, quero dizer o alumínio da armação, ficou todo retorcido de uma maneira estranha, ficou parecendo um laço, mas não amassou, era como se fosse feito em uma fôrma especial para aquele estranho formato. Depois disso fui ao banheiro, pois me deu uma vontade incontrolável de urinar, levei minutos urinando o que me pareceu uma eternidade.Nunca mais tive outro contato, gostaria muito que se repetisse porque tenho ainda tenho algumas dúvidas sobre o que teria realmente acontecido comigo.”


Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 30/11/2003

Seminário Ética de Pesquisa Grupo 03 - terceiro período

Seminário de Ética na Pesquisa Grupo 02 - Terceiro Período

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Fenômeno UFO: Caso Rio das Ostras




Foi no ano de 1986, mês julho, um grupo de pessoas estava na beira mar em Rio das Ostras-RJ, perto de um Quiosque, curtindo a noite clara e de céu limpo. O relógio já passava das 23 horas quando alguém percebeu um pequeno ponto de luz vindo do mar.
Vermelha, azul, verde... a cor mudava e parecia aumentar de tamanho. Mas na verdade, ela não estava aumentando, estava se aproximando!
Foi somente quando estava a quase um quilômetro da praia que todos puderam ver que se tratava de um grande objeto de seis lados voando em grande velocidade em direção a praia.
Atônitos eles ficaram parados olhando para o céu! Até que o enorme objeto (UFO) começou a passar sobre suas cabeças na beira mar... era enorme, muito grande, maior que um campo de futebol.
O medo tomou conta das pessoas, algumas começaram a correr! Outras tiveram total descontrole dos esfíncteres. Quando o objeto começou a se distanciar um barulho horrível tomou conta de toda cidade de Rio da Ostras. Muitas pessoas que dormiam foram acordadas por aquilo que parecia ser o barulho de mil cachoeiras.
Se você também estava em Rio das Ostras nesta noite e observou este objeto, por favor faça contado com este blog.
Os detalhes são importantes e é natural que algumas pessoas lembrem mais que outras que entraram em choque.
Dê seu contribuição para mais este caso INCRÍVEL! FANTÁSTICO ! EXTRAORDINÁRO!

Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 02/11/2003

Fenômeno UFO: Caso Wellington Mesquita


No ano de 1998 o então locutor da extinta Rádio Litoral Fm, Wellington Mesquita, estava com alguns amigos ensaiando umas novas músicas. O Wellington é vocalista na Banda Tribo Goitacá, mas naquela noite especial do mês de julho ele apenas passava o tempo curtindo um som com seus amigos.
O local do ensaio era um terraço, nos altos da casa de um dos rapazes, na Av. 28 de março, bem em frente ao prédio residencial Sunset Park. Por volta das 20h00min o Wellington Mesquita olhou para o céu e o que viu, junto com seus amigos, fez com que o ensaio parasse imediatamente.
Um enorme objeto metálico, absolutamente silencioso, estava passando sobre eles, numa velocidade mínima, bem devagar, na direção da Usina Queimados (Sul). As testemunhas relatam que o objeto deveria ter mais de 800 metros e, com certeza, era muitas vezes maior que o prédio abaixo dele.
O medo se instalou nas pessoas, pois a gigantesca nave parecia estar pousando! Para o Wellington, fã de ficção científica, era um momento único e ele não tirou os olhos um só segundo do céu, observando os detalhes da nave, uma armação que lembrava um Zepelim, mas cheia de detalhes no casco, como se tivesse pontos de ressalto e, sem muitas luzes, podia-se ver, por baixo dela, com nitidez.
A nave desapareceu por trás do prédio, demonstrando que realmente poderia estar pousando. Acima, no céu, alguns pontos de luzes se movimentavam rapidamente, uns cruzando com os outros, como se procurassem alguma coisa na terra.
O movimento no céu permaneceu por vários minutos e ninguém teve coragem para dar um passo fora do local para pegar uma câmera.
No outro dia o jovem locutor foi de bicicleta no local onde provavelmente o objeto (nave) poderia ter pousado. Para seu espanto e satisfação encontrou uma marca enorme no canavial bem nos fundos da Usina Queimados. Na sua cabeça não havia mais dúvidas: o que ele e seus amigos presenciaram foi um pouso de emergência de uma enorme nave mãe alienígena.
Em homenagem a esse contato ele mandou fazer nas suas costas uma enorme tatuagem de um ET clássico, um Grey, pegando uma pequena flor.
Várias pessoas que estavam próximas ao local viram também a passagem do tal objeto, alguns estavam em outras quadras, distantes até alguns quilômetros.
Para Wellington está claro, eles existem, afinal ele foi testemunha de um evento Incrível! Fantástico! Extraordinário!

Arte de Serginho Bedeu, publicado originalmente na coluna que eu assinava no Jornal O DIÁRIO em 09/11/2003

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

TÉCNICAS MODERNAS DE TRANSE HIPNÓTICO


Resumo da Palestra apresentada pelo Psicólogo João Oliveira no II Congresso Brasileiro de Hipnose Clínica e Hospitalar, ocorrido nos dias 2, 3 e 4/10/09 no Hospital Phillipe Pinel no Rio de Janeiro.

1- HIPNOSE CLÍNICA CLÁSSICA


1.1 - HIPNOSE BRAIDIANA

O padrão mais conhecido do “Transe Hipnótico” , melhor chamarmos de Estado Alterado de Consciência –para evitar o preconceito que este termo carrega–, nasce com Jame Braid, médico, nascido em Fifeshire, Escócia, em 1795. No ano de 1841, Braid assistiu, na Inglaterra, uma experiência onde La Fontaine, o autor de antológicas fábulas, se apresentou com o magnetismo e seis semanas depois já dava sua primeira palestra sobre o tema. Criou o nome Hipnotismo. Acreditava que o fenômeno era de origem mecânica e utilizava procedimentos de induções estritamente físicas.
Braid escreveu que o estado de transe é conseguido pela fadiga dos órgãos sensoriais, especialmente a visão. Para isso se faz necessário obrigar o paciente a receber estimulação continuada, monótona e persistente durante um certo tempo. Este padrão também pode ser conhecido como Hipnose por Fascinação. Embora seja o primeiro, ele não constitui modelo clássico de consultório.

1.2 - HIPNOSE ERICKSONIANA

Milton Erickson (1901-1980) é, sem dúvida, o pai da hipnose usada no site psicológico. Fez medicina e foi um desconstrutor de conceitos de aprofundamento do transe e sugestionabilidade. Introduziu a abordagem naturalista, permissiva e indireta. Sua relação com a hipnose é proporcional à relação de Einstein com a física. Percebeu a natureza multidimensional do transe, que se modifica de pessoa a pessoa e percebeu que há uma indução especial e única para cada paciente, fazendo com que o paciente se torne seu próprio indutor, dentro de uma técnica bastante ágil.
Este é o perfil do transe mais utilizado no atendimento a pacientes em todo o mundo até os dias de hoje.

2- TÉCNICAS MODERNAS DE HIPNOSE

2.1 - VISUALIZAÇÃO CRIATIVA
“As imagens mentais são um tipo de pensamento usado para fazermos contato com a nossa realidade subjetiva."
Dr. Gerald Epstein


Esta técnica foi desenvolvida pelo psiquiatra americano Gerald Epstein. Em 1974, Epstein conheceu Colette Aboulker-Muscat, psicóloga e professora franco-argelina que o iniciou no processo de visualização mental e com quem estudou por nove anos. Em 1978, fundou o Instituto Americano de Visualização Mental, objetivando treinar profissionais da saúde e fornecer orientação ao público. Suas incessantes pesquisas na área da visualização e da consciência resultaram no livro Imagens que curam, publicado, originalmente, em 1984 e traduzido em onze idiomas.
O método para a elaboração das imagens mentais deve tratar diretamente do problema apresentado de forma mecânica. Seja um pequeno ser que entra pelas narinas ou boca e destrói o mal, ou uma purificação de todo organismo pelas moléculas de oxigênio. Seguindo o princípio que os sonhos, utilizando da forma simbólica, acontecem durante o sono fisiológico como uma forma natural de buscar o equilíbrio entre as dissonâncias diárias. Dessa maneira, é importante que o organismo fique relaxado e possa desfrutar de um descanso reparador. Paralelamente, a visualização criativa, mesmo fora do estado de transe, usa o mesmo método para auxiliar na reparação dos males no organismo: são sonhos que temos acordados!
O profissional deve usar a criatividade. Não é aconselhável se alongar nas visualizações, pois o sujeito pode ter dificuldade em repetir depois. Uma fita, de preferência com a voz do paciente, seguindo todos os passos pode ser a melhor forma de conseguir excelentes resultados.

2.2 - HIPNOSE POSTURAL

A Hipnose Postural nada mais é que a aplicação da leitura da linguagem corporal no site psicológico no intuito de ampliar o rapport ao ponto de interagir emocionalmente com o sujeito, facilitando, assim, a aquisição do transe. É sabido que nossa comunicação verbal não chega a 30% de tudo que passamos para o outro. Em verdade, o corpo diz mais sobre o que pensamos e como pensamos do que nossas palavras.
Utilizar essa técnica associada às já conhecidas nos dá duas grandes vantagens:
-entender o que se passa com o outro facilitando o rapport;
-saber controlar a própria comunicação corporal e lidar com nossas próprias emoções!

2.3 -HIPNOSE MECÂNICA OU INSTRUMENTAL

A utilização de aparelhos que possam facilitar o estado de transe já é uma realidade, o ISEC possui quatro PSICOTRONS que são utilizados diariamente por psicólogos que atuam com Hipnose Clínica. Estruturado de modo a prover fadiga sensorial no maior órgão do corpo humano – a pele – o PSICOTRON vibra em toda sua estrutura, ao mesmo tempo que executa um cd com uma música ambiente, pisca luzes na direção dos olhos e registra todas as alterações na atividade da resistência galvânica.
Sob o comando direto de um psicólogo, esse instrumento é um grande facilitador que dá, ao operador, um retorno seguro do que ocorre em nível emocional pela modificação, ou não, da resistência galvânica.
Almofadas e poltronas que vibram, Cds de mantra, ozonizadores de ambiente, luzes em tons frios e até os celulares modernos são outros instrumentos que podem ser utilizados para ajudar na obtenção do transe em consultório.

2.4 - HIPNOSE SEMÂNTICA

Conceito trabalhado –por mim– em consultório com a utilização, durante o estado normal ou alterado de consciência, de palavras de forte conteúdo de valores em nossa sociedade: Pai, Mãe, Sexo, Morte, Comida e Dinheiro.

Valores afetivos nas palavras: pai e mãe;
Valores existenciais nas palavras: sexo (Eros) e morte (Tânato);
Valores do capital nas palavras: comida e dinheiro.

Com o medidor de resistência galvânica ou uma observação atenta aos sinais idiossincráticos, ou seja, manifestados pelo inconsciente do sujeito, pode-se ir aferindo as alterações do peso simbólico de cada palavra ao longo por processo de ressignificação e estruturação do sujeito.
Ainda, valendo-se do processo semântico, pode-se usar a força da palavra com uma indução onde a ancoragem se faz no pensar, falar ou ouvir de cada palavra do nosso idioma. Com esse processo, por mim desenvolvido, para aplicação nos meus pacientes, temos obtido bons resultados na recuperação de vários desses pacientes e em diversos sintomas comportamentais e psicossomáticos.


Indução das Vogais

Para cada vogal dita, pede-se ao sujeito que inspire lenta e profundamente ao mesmo tempo em que se auto-imagina tendo um comportamento desejado.
O processo se repete com cada uma das cinco vogais, sempre com um novo comportamento desejado.
Ao final o profissional psicólogo reforça o comando que, a cada palavra dita, pensada ou ouvida, o som de cada vogal irá reforçar o comportamento a ela relacionado. Como durante todo o dia os sons das vogais inundam a nossa cognição esse reforço é contínuo.

3- CONCLUSÃO

A Hipnose é uma ferramenta em construção.
As tecnologias associadas a uma nova maneira de se entender o humano como um ser verbívoro, aquele que se alimenta da linguagem, aproveita recursos nunca antes tocados. Isso torna a psicoterapia algo profundamente ligado à própria (r)evolução dá pósmodernidade.

Há uma busca incessante dos mecanismos que nos fazem seres capazes de nos autocurarmos ou, no desajuste dessa linguagem interna, criar sintomas cada vez mais difíceis de serem diagnosticados nos microscópios feitos com lentes de vidro.

Nossas lentes são feitas de letras, palavras, pensamentos: linguagem. Afinal estamos no futuro e voltamos ao princípio, onde tudo era o verbo!

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANDRADE, V. M. (Org.) ; BUENO, Orlando Fa (Org.) ; Santos, Flavia Heloisa dos (Org.) . Neuropsicologia Hoje . 1. ed. São Paulo: Artes Médicas, 2004.
BANDLER, R., GRINDER, J. Sapos em Príncipes: Programação neurolingüística. 8 ed. São Paulo: Summus, 1982.
BANDLER, Richard & GRINDER, John. Atravessando. São Paulo: Summus, 1984.
BANDLER, Richard & GRINDER, John. Ressignificando. São Paulo: Summus, 1986.
BANDLER, Richard, Usando sua mente, as coisas que você não sabe que não sabe. São Paulo: Summus, 1985.
CHOMSKY, Noam. Linguagem e mente. Brasília: Universidade de Brasília, 1998.
COCENZA, R. Fundamentos de Neuroanatomia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1990.
EPSTEIN, Gerald. Imagens que Curam. 9ª Edição, Xenon Editora. Rio de Janeiro 1990.
GAZZANIGA, M. Neurosciences cognitives: the biology of the mind. Paris: Ed. De Boek Université, 1998.
GOLEMAN, Daniel. Emoções que Curam. MG Textos Editorial Ltda. Rocco Rio de Janeiro 1999.
HALEY, Jay. Terapia Não Convencional. São Paulo, Summus Editorial: 2ª Edição. 1991.
HAY, Louise. Meditações Para a Saúde do Corpo e da Mente. Sextante Editora .2000
HAY, Louise. Você Pode Curar Sua Vida. Bestseller editora. 2004
JUNG, CARL G., Os Arquétipos e o Inconsciente Coletivo. Petrópolis, Rio de Janeiro: Editora Vozes. 1976.
LENT, R. – Cem Bilhões de Neurônios. Conceitos Fundamentais de Neurociências. São Paulo: Livraria Atheneu, 2004.
LUNDY-EKMAN, L. Neurociência: fundamentos para a reabilitação. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.
LURIA, A R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Porto Alegre, Artes Médicas, 1987.
LURIA, A. Basic problems of neurolinguistics. New York: Mouton,1976.
MUSSALIN, F. & BENTES, A. Introdução à lingüística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2001.
PAIXÃO, Paulo. Letargia e Hipnose Sem Magia. Pe Berthier Editora. Passo Fundo: 1996.
PINKER, Steven. Como a mente funciona. São Paulo: Cia das Letras, 1998
PINKER, Steven. Do que é feito o pensamento. São Paulo: Cia das Letras, 2008
PINKER, Steven. O instinto da linguagem: como a mente cria a linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2002.
POLITO, Reinaldo. Para Falar Bem em Conversas e Apresentações. São Paulo: Saraiva, 2005.
Robbins, Anthony , Poder sem Limites. 8ª ed. São Paulo: Best Seller, 2007.
WEIL, Pierre & TOMPAKOW, Roland. O Corpo Fala. 39. ed. Petrópolis: Vozes, 1996.

O Caminho de Jung - George Borten

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Julio Lopes apresenta projeto de transportes para Olimpíadas 2016














O secretário estadual de Transportes Julio Lopes apresentou, nesta quarta, dia 14/10, o Programa de Transportes para as Olimpíadas de 2016 ao Conselho de Logística em Transporte da Associação Comercial do Estado do Rio de Janeiro. Na própria sede da autarquia, Julio Lopes falou das intervenções de infra-estrutura de transportes que serão feitas na cidade por conta do evento mais esperado da agenda olímpica mundial. O projeto apresentado na candidatura para o setor de transportes foi um dos pontos principais que garantiram ao Rio a vitória.
O superintendente da Agência Metropolitana de Transportes Urbanos (AMTU), Waldir Peres, mostrou todas as etapas do planejamento em relação à pasta de transportes para a candidatura do Rio à cidade-sede dos Jogos. O projeto inclui ações de requalificação das áreas do Maracanã e Deodoro, implantação de três corredores expressos em pontos estratégicos de ligação entre Barra, Zona Sul e Centro - áreas onde ocorrerão as competições. Um deles é o T5, corredor que vai ligar a Barra às regiões da Penha e Madureira. E o outro, seria o BRT da Avenida Brasil, ligando o quilômetro zero da via até o centro da cidade.
Este último é, na visão do secretário, a possibilidade de transformar os acessos ao Rio de Janeiro, trazendo uma nova configuração da logística urbana da cidade. Propostas de melhorias dos sistemas ferroviário e metroviário foram expostas na reunião.
Para Julio Lopes a realização dos Jogos Olímpicos no Rio pode reverter a situação urbana da cidade.
- As Olimpíadas vão permitir que a cidade retome sua posição de destaque no cenário nacional e internacional, a partir do redimensionamento das áreas urbanas e reestruturação de espaços degradados como o centro do Rio. Os projetos apresentados na candidatura estão totalmente articulados com as metas da pasta de Transporte do estado. A escolha do Rio para sediar o evento vai permitir que os projetos que aguardavam disponibilidade de orçamento para entrarem em operação possam acontecer num prazo bem menor de tempo – comemora o secretário.
Depois da exposição do projeto de transportes para o Rio 2016, Julio Lopes ouviu propostas e sugestões dos integrantes do Conselho. O presidente do grupo, Francisco Pinto, disse que graças ao ajustado e viável programa de transportes apresentado ao COI, foi possível que o Rio saísse vitorioso dessa disputa. Ele ressaltou também que a integração das três esferas governamentais foi fundamental para o êxito da candidatura.
O secretário Julio Lopes disse que o Conselho de Logística em Transporte da Associação Comercial do Rio tem papel relevante. O órgão pode ajudar o governo a fazer com que a sociedade entenda e acompanhe melhor a questão do transporte e da logística da cidade.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Essa vai para o João Oliveira!


Incrível! Como nunca pensei nisso antes?
Após receber um email do Instituto de Psicologia Crescer (Isec), sobre um Curso de Hipnose, me lembrei do meu amigo João de Oliveira. O único campista que eu conheço que leva à sério esta ciência. Vejam bem: o único que eu conheço, o que não significa que não existam outros por aí que eu nunca tenha visto.
Mas vamos ao que interessa. Recebi este email no momento em que estava lendo uma das minhas revistas prediletas, a saga "Crise de Identidade", e estava lendo uma cena em que o Conde Vertigo bagunçava a vida do Arqueiro Verde.
Pois bem, se não existia nenhum personagem com os poderes de João de Oliveira, agora eu descobri um: o Conde Vertigo!
Quem é o Conde Vertigo? O Conde Vertigo, cujo nome completo é Conde Werner Vertigo, é o conde de Vlatava (uma cidade fictícia). O personagem usa um apetrecho que causa vertigem em seus oponentes, e um uniforme que hipnotiza suas vítimas.
Aqui os meus respeitos ao cara que leva à sério a ciência da hipnose e que não abre mão de suas convicções científicas, fica aqui a minha homenagem!
Publicada em MUCUFO do Cassio Peixoto, siga o link

Valeu Cássio, obrigado !

Fernando Leite, Conde Mauricio e eu

Conde Mauricio matando saudades

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Poscast 01 : Ouça !

Alunos de Psicologia - Sexto Período

Alunos de Psicologia - Sexto Período

Mais um grupo de alunos de Neurolinguística no consultório.

Victor no Pódium!


Matéria de o URURAU, siga o Link!
Obs: lá em casa sou só eu mesmo o sendentário...







Os cinco primeiros da elite, destaque para Izael (3°) e Vítor (5°), representantes da região

Na manhã, bem quente, desta segunda-feira (12/10), centenas de pessoas acompanharam a terceira etapa da Copa Camaleão, que foi realizada na Avenida Alberto Lamego, nas proximidades da UENF (Universidade Estadual do Norte Fluminense). Evento que teve a realização do Clube Duas Rodas e a presença da Federação Estadual de Ciclismo do Estado do Rio de Janeiro.

As categorias Estreante e Júnior ganharam a pista por volta das 9h. Familiares e equipes deram a maior força para os que serão no futuro, os ciclistas profissionais, com o sonho, quem sabe, de nos representar nas Olimpíadas de 2016, no Rio.

Momento máximo da competição, a categoria elite, com ciclistas de vários estados. Já adentrando à tarde do feriado, a disputa foi realizada em uma hora e mais uma volta (o circuito era oval, facilitando o acompanhamento do público). Logo na metade da prova, cinco atletas abriram frente ao restante do pelotão e disputaram entre eles as colocações do pódio, que ficou assim:

*ELITE
1°) David Leite da Silva (Rio de Janeiro)
2°) Alvimanio Augusto (Cabo Frio)
3°) Izael Nunes (São Francisco de Itabapoana)
4°) Alexandre Cardoso (Cachoeiro de Itapemirim)
5°) Vítor Montalvão (Campos dos Goytacazes)

Hipnose sempre rende polêmica: Aumento dos Seios !










Hipnose sempre rende polêmica. E o que dizer de David Knight? O inglês, conhecido como "The Mind Persuader" (o Persuasor da Mente), garante que turbina seios sem que as mulheres precisem passar por cirurgia plástica. Bom, o hipnotizador diz possuir uma técnica exclusiva para fazer com que suas clientes tenham seios aumentados sem sofrimento, em 12 semanas. David garante que o método, que conta com um CD "hipnotizador", é eficaz em 85% dos casos. Ele é tão confiante no êxito do prgrama que devolve o dinheiro em caso de insucesso.
O hipnotizador também diz que suas palavras podem levar as mulheres a terem seios mais firmes e simétricos. Uau!!!! "Quaisquer seios podem ser aumentados pelo poder da mente, a mente faz com que eles cresçam", disse David à imprensa britânica.
Seria algo como siliconização telepática?

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Como vive Eike Batista, o mais rico do país

























Matéria Publicada no Midiamax - O Jornal Eletrônico do Mato Grosso do Sul Folha Online/CBJr.
O mineiro Eike Fuhrken Batista, 52, há tempos não se lembra dos seus sonhos. No último que a memória guardou, ele voava. "Sozinho?", pergunta o interlocutor. "Sozinho! O Super-Homem não voa?" Ele não esqueceu os sonhos que o embalavam aos 16 anos.

Na escola na Alemanha, onde morava com a família, descobria nos livros a saga de Francisco Pizarro, o espanhol que saqueou o ouro dos incas na América do Sul do século 16. "Aquilo me fascinava, a história de salas cheias de barras de ouro", conta. "Eu me transferia para o ambiente e parecia que segurava aquele negócio."

Quando uma cartomante carioca sugeriu-lhe no crepúsculo do século 20 que acorresse a Cusco, a capital do Império Inca, Eike (pronuncia-se "Aique") voou até o Peru. Em obediência às instruções, deitou-se de barriga para cima em um campo de futebol e mirou o céu por cinco minutos. "Ela disse que iria reordenar o cosmos, a linha da vida seria reajustada." E funcionou? "Acho que sim, está tudo bem."

Ainda em Cusco, um guia apresentou-o a uma índia bruxa. Ela pediu que Eike comprasse um saquinho de folhas de coca. A feiticeira soprou-as e pontificou sobre o pai do visitante, saúde e outros assuntos. "Foi interessante", recorda Eike, no restaurante chinês Mr. Lam, estabelecimento no Jardim Botânico, zona sul do Rio, que ele fundou e no qual investiu R$ 8 milhões. Abaixo da edificação, mandou cravar uma barra de cobre.

A providência destina-se a espantar más energias, aplicando o feng shui, conhecimento chinês segundo o qual a disposição de objetos influi no cotidiano das pessoas. No seu escritório, em frente à praia do Flamengo, ele se senta voltado para a porta. "Você apara as energias [ruins] de quem vem de fora." Desses desencontros, não guarda rancor de ninguém, assegura. A astrologia contribui para entendê-lo, ensina Eike, nascido em 3 de novembro: "Escorpião é muito amigo, leal com quem é leal com ele".

"O lado vingativo, típico do escorpião, consegui dominar com a idade. Depois dos 30, quem rege mais você é o signo ascendente." O dele é capricórnio. Porém permaneceram, afirma, dons escorpianos de "tenacidade e perseverança". Ele lapida a sorte com o número 63, rebento do acaso. Em uma competição de lanchas, buscou o 3 e o 33, já ocupados. Sobrou o 63, com o qual definiria até os centavos nos lances de sua empresa OGX em leilões de blocos para exploração de petróleo. Consagrou-se campeão mundial em categoria da motonáutica. Alcançou no mar a velocidade de 270 km/h.

Nesse ritmo, tornou-se o brasileiro mais rico e o número 61 do planeta, conforme ranking da revista "Forbes" divulgado em março. Seu patrimônio atingia US$ 7,5 bilhões. É tanto dinheiro que, se ele se sentasse na gangorra diante do capo das comunicações italiano, Silvio Berlusconi, cada um pesando quanto vale, a balança penderia para Eike -o primeiro-ministro e sua família detinham US$ 6,5 bilhões.

Os cifrões de Eike dariam para bancar sozinho o Bolsa Família neste ano. Dos 60 mais abastados que ele, só 11 são mais jovens. Bill Gates, 53, lidera a corrida com US$ 40 bi. A contabilidade da "Forbes" se fundamentou em empresas de capital aberto. Na Bovespa, Eike controla quatro delas, sob as asas da holding EBX -como todas suas companhias, o nome se encerra com um xis, emblema destinado a augurar a multiplicação de riqueza. O logotipo é um sol, símbolo inca. A mesma imagem, moldada em ouro, Eike ostentava no pescoço no primeiro dos dois encontros com a Folha, em entrevista de 4 horas e 20 minutos no seu restaurante.

Lá ele contou a história do primeiro milhão de dólares, amealhado com compra e venda de ouro do Pará; do primeiro bilhão, após oito minas de ouro no Brasil e no exterior. Projetou: com suas ações fortalecidas e somando bens ausentes da Bolsa, a fortuna já ultrapassa os US$ 20 bilhões, rumo a coroá-lo o capitalista mais fornido do mundo -a considerar o valor de anteontem do seu quinhão nas companhias de capital aberto (de 54% a 76% de cada uma), Eike detém o equivalente a US$ 24 bilhões em ações na Bovespa.

Na conversa, ele indagou ao repórter: "O que te surpreendeu nesta entrevista? Você me conhecia lendo coisas. O que não bate ou bate?". Insistiu: "Deixa eu entrevistar você: o que as pessoas falam de mim por aí? O que eu sou?".

Nos quatro dias seguintes, adquiriu a concessão da Marina da Glória, cartão-postal da cidade; a candidatura do Rio à Olimpíada de 2016 triunfou, após campanha cujo principal patrocinador individual foi Eike, com R$ 23 milhões; e sua companhia mais promissora descobriu indícios de petróleo na bacia de Santos. Só nessa operação, em sete horas de pregão da Bovespa, o controlador da OGX enriqueceu -em papéis- cerca de US$ 1,5 bilhão, soma superior às vendas da Renner ou da Goodyear no Brasil em 2008.

Eliezer Batista da Silva presidiu a Companhia Vale do Rio Doce no governo Jânio Quadros, de 1961; foi ministro de Minas e Energia em 1962 e 1963, na administração João Goulart; no golpe de 1964, afastaram-no do comando da Vale; retomou a chefia da mineradora a partir de 1979, no mandato do general João Baptista Figueiredo; em 1992, Fernando Collor nomeou-o para a Secretaria de Assuntos Estratégicos.

Aos 85 anos, permanece um azougue intelectual à altura da legenda de estrategista da logística e do desenvolvimento. Eliezer foi um pai ausente. Inquirido sobre a asma de Eike, o segundo dos sete filhos que teve com a alemã Jutta, minimiza: "Não era muito forte". "Eu sofria de asma, de cair da cama e não respirar", contradiz Eike, ignorando o relato paterno. Ele se curou da doença graças a quem mais o influenciou, a mãe. Na Europa, Jutta obrigava-o a nadar mesmo em dias gélidos.

"Quando eles eram menores, eu vivia viajando, não tinha quase contato", lamenta Eliezer (a sílaba tônica é a última). Só para o Japão, contabilizou 178 missões pela Vale. "Eike herdou da mãe toda a disciplina germânica, a persistência", diz Eliezer. "Ela pegava uma criança de três anos, botava para esquiar, jogava colina abaixo. Que mãe brasileira faz uma coisa daquela? Mas se cria gente dura. Modifica o caráter da pessoa." "Minha mulher foi criada na Juventude Nazista", confidencia o viúvo de Jutta, morta em 2000.

No Rio, aonde chegou depois de nascer em Governador Valadares (MG) e morar por pouco tempo em Vitória (ES), Eike estudou em colégio germânico. Na mudança para a Europa aos 12 anos, o alemão predominou como idioma doméstico, inclusive de Eliezer. Quando os pais retornaram para o Brasil, o graduando de engenharia Eike prosseguiu entre a cidade alemã Aachen e a capital belga, Bruxelas.

Com mesada curta -ele se define como classe média alta na juventude-, oferecia seguros residenciais de porta em porta. Desenvolveu um talento de vendedor, o de ouvir: além de alardear as virtudes dos seus produtos, assentia que senhoras segredassem alegrias e tristezas. Bombou.

Em 1979, de volta ao Brasil, embrenhou-se na Amazônia em compra e venda de ouro. Montou mina no meio da selva. Diz que recebeu um tiro pelas costas dado por um garimpeiro de quem cobrava dívida. Socorreram-no no hospital, e a herança foi uma cicatriz pequena. Tornou-se executivo e depois controlador da mineradora canadense TVX Gold.

Foram duas décadas no ouro, concentrado no exterior. Eike afirma que, ao sair do Canadá em 2000, seu primeiro US$ 1 bilhão tilintou. Ele se despediu do ouro e redescobriu o Brasil.

Aqui, disseminou-se no mercado um rumor que a Folha ouviu de concorrentes de Eike abrigados no anonimato: na década de 1980 e na expansão do grupo X, o pai o teria favorecido. Antes, com informações sigilosas sobre o mapa mineral. Hoje, como integrante dos conselhos das empresas. Inexiste comprovação da primeira suspeita. Em relação à influência atual de Eliezer, quanto mais se aproxima do coração do negócio, evidencia-se que Eike dá as cartas. Executivos revelam que, na origem, Eliezer opôs-se à formação da petrolífera OGX e da recém-lançada OSX, que terá estaleiro em Santa Catarina. Eike se julga injustiçado: "Esse negócio que falam que meu pai me mostrou o mapa da mina. Que o meu pai é aquela pessoa brilhante, um oráculo do saber, e eu sou... É difícil". Nada que o impeça de pensar que Eliezer "fez coisas extraordinárias pelo Brasil" e de elegê-lo como ídolo.

O pai, homem de Estado, diz que o filho é vocacionado para a empresa e sempre quis superá-lo. E se sente feliz em saber que Eike conseguiu. Na privatização da Vale, em 1997, Eike ambicionou um naco. O pai demoveu-o, registra o filho, alegando que pegaria mal por ser parente de quem é. Agora, o acionista majoritário da mineradora MMX sonha controlar a Vale, a gigante de mais de R$ 200 bilhões.

Um conselheiro de Eike sustenta que o projeto empresarial é deter o timão da Vale. Participação partilhada não faria sentido, pois não promoveria a sinergia com seus negócios de mineração, logística (portos), energia e petróleo. Medindo as palavras, Eike concede: "Se Steve Jobs falecer, eu vendo as minhas ações da Apple. Há empresas, negócios em que são poucos os criadores da riqueza". Traduzindo: uma fatia da Vale, mesmo que menos de 10%, só faria sentido se ele pudesse fermentar o bolo inteiro.

Enfim, explicita: "Só interessa se for em posição de poder direcionar a criação de riqueza. Você tem que poder decidir como será tocada a companhia". Frustrou-se a primeira ofensiva, que a Folha revelou, pela parte do Bradesco. E aumentou o atrito com o presidente da Vale, Roger Agnelli, indicado pelo banco.

Ao evocar sua incursão pelo ouro no Amapá nos anos 1980, Eike disse que o Bradesco financiou parte da operação.

"O curioso é que o banqueiro que ajudou a gente a abrir o capital... adivinha quem era?". Seria, na verdade, executivo: Agnelli. Rindo animadamente, Eike concluiu, em inglês: "Jesus Christ!". Vale e Agnelli não quiseram comentar. Na EBX, desconfiou-se de que o informante sobre as tratativas com o Bradesco a respeito da Vale tenha sido o banqueiro André Esteves. Eike mostrou ao repórter um torpedo que acabara de receber do dono do BTG Pactual.

O banqueiro escreveu: há "inveja dos outros"; "missões impossíveis são certos companheiros de viagem"; "o convívio com pessoas como você alimentam minha vontade de fazer"; "te admiro muito, cara". Procurado, Esteves não se pronunciou acerca da mensagem. "Brigar para quê?", pondera Eike. "André é um cara com cabeça diferenciada, fora da curva. Talvez tenha que medir a ambição um pouquinho."

Outra hipótese de ingresso na Vale é assumir a participação de fundos de pensão de estatais. Irritado com demissões na mineradora, o presidente Lula dera sinal verde a Eike para abordar o Bradesco. Foi no governo Lula, notadamente de 2006 a 2008, quando se lançou na Bolsa, que Eike prolificou seus reais.

Em 2006, doou como pessoa física R$ 4,38 milhões para candidatos apoiadores do governo, incluindo R$ 1 milhão para o próprio Lula e a mesma quantia para Roseana Sarney. O PSDB levou R$ 1 milhão. Eike jura que sufragou Lula em 2002 e 2006. "Votei numa posição de achar que a gente tinha que exorcizar a esquerda. Estava na hora de chamar a esquerda e ver no que dava", conta.

No choque com o governo Evo Morales, que em 2006 barrou a construção de uma siderúrgica na Bolívia, Eike contratou -ele diz- como consultor o ex-ministro José Dirceu. Em Nova York, no mês passado, descobriu nova semelhança com Lula, além do que considera ser uma identidade marcante sua, o nacionalismo: ambos são de escorpião. Investiu R$ 1 milhão como pessoa física, sem recurso a renúncia fiscal, no filme "Lula, o Filho do Brasil". Hábil como o pai, que conviveu com governantes diversos, elogia Dilma Rousseff, José Serra e Aécio Neves. Aplaude a política do Planalto para o pré-sal. Ressalta que quase todos os seus investimentos se restringem ao país -no entanto vendeu a maior parte da mineradora MMX em 2008 para a Anglo American. Marqueteia: "Com a autopista que Fernando Henrique e Lula deixaram para a gente correr, deixa meu Porsche andar. Faremos bonito".

Estacionado na sala de casa, ele tem uma McLaren esportiva, motor Mercedes que acelera a 334 km/h e com a qual passeia à noite. Mora no Jardim Botânico, na mesma rua da ex-mulher, Luma de Oliveira, e dos filhos adolescentes deles, Thor e Olin. Dedica aos dois atenção e carinho intensos.

Conhecido por décadas como "o filho de Eliezer Batista", virou "o marido da Luma" ao casar com a modelo em 91. Unido na igreja à socialite Patrícia Leal, abandonou-a dias antes da festa de casamento para ficar com Luma, que conhecera havia pouco. O Vaticano anulou o matrimônio. Na Sapucaí, Luma desfilou de coleira com o nome de Eike. Para evitar que ela voltasse a posar nua, o marido dispôs-se a cobrir o cachê da "Playboy".

Diante da negativa, passou a abastecê-la com chocolates, a fim de engordá-la, diminuir a autoestima e mudar a decisão. Novas fotos só foram feitas após a separação. Ao se divorciar, em 2004, transformou-se na persona Eike Batista, o magnata. "Isso foi consciente. Percebi que, com os meus filhos, eu tinha que ter uma identidade. Que negócio é esse? O Thor dizer que o pai é o ex-marido da Luma de Oliveira? Aí tocou a vaidade."

Eike se dá bem com a ex e namora a advogada Flávia Sampaio, 23 anos mais jovem. Gostaria de ser pai novamente. Faz tratamento a laser contra manchas no rosto, submeteu-se a plástica para retirar gordura sob os olhos e se prepara para o quarto implante capilar.

Em 2007, Eliezer Batista disse à Folha que a união de seu filho com Luma fora um erro. Em voto de confiança no amor, o pai de Eike voltou a se casar discretamente semanas atrás, em cartório do Rio. O filho só tomou conhecimento dias depois. Recebeu a novidade com bom humor.

LEMA NOS NEGÓCIOS

Ir aonde ninguém vai

DICA DE GESTÃO

Esse negócio de que o olho do dono engorda o boi. É isso aí

QUALIDADE DE EMPRESÁRIO

Enxergar algo que o cara que está me vendendo não enxergou. Ele não sabe transformar aquilo no que eu vou transformar

PARA PROSPERAR

Não se case cedo; vá para áreas de fronteiras

MAIS RICO DO MUNDO

Vai ser consequência do que eu já montei

CHEGANDO NA FRENTE Beatriz Acampora se destaca no Circuito Adidas


Matéria Publicada do Site de Notícias Ururau (siga o link)

A carioca Beatriz Acampora, que reside em Campos há 16 anos, conquistou um expressivo resultado neste domingo (11/10) na Etapa da Primavera do Circuito das Estações Adidas, no Aterro do Flamengo, em percurso de 10 km e percorrendo bairros como a Glória e Botafogo.

Beatriz que correu pela equipe da Fama Assessoria, chegou na 5ª colocação, com o tempo de 45m41s85 em sua categoria (35/39). Cerca de 13 mil competidores participaram da prova, em que Beatriz completou na classificação geral na 263ª posição e na 22ª entre as mulheres.

O tempo conquistado foi uma quebra de recorde pessoal. Beatriz é vegetariana e começou a praticar o esporte há pouco tempo, motivada por questões de saúde, vem se destacando a cada evento e passou a chamar a atenção da equipes profissionais.

Esta foi a 3ª etapa da competição que já teve a realização das de outono e inverno. A 4ª (de verão) e última será realizada no início de dezembro.

Vários outros atletas de Campos também participaram da prova.

O Circuito das Estações Adidas que tem provas de 5 e 10km, é constituído por quatro corridas durante o ano, uma em cada estação e sempre no mesmo local/percurso, tem como objetivo fazer com que os participantes consigam perceber a evolução de seu tempo e performance com o passar do tempo.

O novo resultado foi um verdadeiro salto para a campista, que nas primeiras etapas já havia obtido resultados expressivos para quem está iniciando a carreira, tendo completado as primeiras provas em na 13ª e 33ª posições.

A evolução é de fácil percepção quando se faz uma avaliação de outras provas realizadas este ano. Na prova de São Sebastião, em janeiro, no mesmo percurso, o tempo foi de 1h.

Na Eco Run no Rio, que também foi de 10 km, fez o tempo de 50 minutos.

Em nova corrida da Adidas, essa de 5 km, Beatriz completou o percurso em 23 minutos.

Mas não somente em competições de 10 km que a maratonista colocou sua condição em prova. Ela disputou duas meias maratonas e em ambas de pouco mais de 21 km. Na do Rio, fez o tempo de 1h53, e baixou esse tempo quando disputou a Meia Maratona Internacional do Rio, fazendo em 1h45.

..........................................

Ururau
ururau@ururau.com.br