PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Alta Tensão: Fiúza solto e Sivaldo vai para "Custódia"


Matéria e foto do site URURAU, siga o link no título

Jaime Fiúza, ex-funcionário da CamposLuz, teve seu alvará de soltura expedido pela 1ª Vara Criminal de Campos, com isso, Jaime fica liberado da prisão temporária e não será levado junto com os outros detidos à Casa de Custódia. Fiúza foi detido na manhã desta sexta-feira (05/06), na operação Alta Tensão.

De acordo com o advogado de Sivaldo, Dr. Salatiel Andriola, não há chance do habas corpus impetrado no Tribunal de justiça do Rio de Janeiro ser julgado nesta sexta.

A Operação - Teve início na madrugada desta sexta-feira (05/06), uma megaoperação policial em Campos. A Operação Alta tensão conta com a Polícia Fazendária, Federal, Civil, Militar e BOPE e envolve sete mandados de prisões temporárias e 23 de busca e apreensão, sendo 20 em Campos e três no Rio de Janeiro. A Guarda Civil Municipal dá apoio logístico à operação.

Os mandados de prisão foram expedidos pela 1ª Vara Criminal de Campos contra Sivaldo Abílio (ex-presidente da CamposLuz), Janaína Velasco (filha de Sivaldo Abílio e ex-funcionária da CampoLuz), Jaime Fiúza (ex-auxiliar administrativo da CampoLuz), Altair Pessanha (ex-funcionário da CampoLuz), Itanaley Barroso Falcão (ex-tesoureiro da CampoLuz), Luís Fernando Siqueira e o contador Paulo Monteiro.

Dos sete mandados quatro foram cumpridos: Sivaldo, Janaína, Jaime Fiúza e Altair Pessanha. Os outros três seguem foragidos.

O promotor de justiça Leandro Manhães confirmou que todos os sete são acusados por uma série de irregularidades: "Formação de quadrilha, peculato, lavagem de dinheiro, falsificação de documento, falsidade ideológica".

O advogado de Sivaldo Abílio, Dr. Salatiel Andriola Pizelli que havia dito entender ter sido uma prisão arbitrária, confirmou que o pedido de habeas-corpus foi encaminhado para o Tribunal de Justiça, no Rio de Janeiro, confiando na conquista do proposto.

“Até o momento não se tem provas contra ele. Se tem não temos conhecimento. Acredito que até o final da tarde será concedido o habeas corpus”, disse o advogado, que foi chamado por Sivaldo às 6h30. A prisão de Sivaldo Abílio assim como dos outros seis, é de cinco dias podendo ser prorrogados por mais cinco. Todos deverão ser encaminhados para a Casa de Custódia, enquanto Janaína para penitenciária ou delegacia feminina.

OPERAÇÃO ENVOLVEU CERCA DE 140 POLICIAIS
Os agentes se reuniram às 3h da manhã, quando receberam orientações e todas as informações sobre a operação, depois de terem sido reunidos no Sesc Mineiro, em Grussaí. Eles saíram para cumprir os mandados logo no início da manhã. As saídas de Campos foram fechadas pela Polícia Rodoviária Federal. 60 viaturas policiais e um helicóptero fizeram parte do aporte com 140 policiais.

O ex-presidente da CamposLuz, Sivaldo Abílio, foi detido em seu apartamento, na Rua Rovenil Rodrigues Manhães, às 6 da manhã, no 12° andar do edifício Magister. Além do mandado de prisão, agentes da polícia cumpriram mandado de busca e apreensão. Chegaram a ser levadas marretas para que paredes pudessem ser quebradas para se achar materiais escondidos.

A empresa Pátio Norte foi convocada para dar apoio logístico com dois caminhões, onde eram levados os materiais recolhidos. Um desses caminhões teria recolhido materiais em residências nas proximidades do turf. Também houve busca e apreensão na Pecuária. Às 8h30, a Polícia Civil foi até à Rua Capitão Henrique Martins, 40, no Parque Vera Cruz, onde reside Paulo Monteiro, contador que foi citado nas investigações realizadas na CPI da CampozLuz.

De acordo com as investigações, Paulo Monteiro utilizou documentos de firmas de terceiros para realizar as fraudes. Entre as firmas que tiveram a comprovação de fraudes estão uma em nome de sua esposa, outra de sua filha, mais uma de sua irmã e ainda outra em nome do filho de seu advogado. Na residência de Paulo ninguém foi encontrado. A Polícia Civil lacrou o local.

A Rua Barão de Miracema, da delegacia, continua fechada e o trânsito é lento nas proximidades. Foram apreendidos 22 veículos, cinco armas, sendo uma na empresa Fidalcon, em Campos e quatro na localidade de Caetá, em São João da Barra. Os policiais continuam nas ruas tentando cumprir os outros mandados de prisão. Na empresa Fidalcon, que fica na Rua Riachuelo, em Campos, foram apreendidas uma caminhonete e um Santana, que seria roubado.

ASSESSORIA JURÍDICA DE BACELLAR ESCLARECE BOATOS
Diferente do que chegou a ser cogitado, o vereador Marcos Bacellar não foi detido pela polícia, Ele estaria em sua residência reunido com outros vereadores da cidade. Há também especulações sobre outro vereador que teria sido detido, mas tudo foi desmentido polícia.

“O vereador e ex-Presidente da Câmara de Vereadores de Campos, Sr. Marcos Bacellar, encontra-se tomando café em sua casa, tranquilamente, não sabendo informar o motivo pelo qual estão veiculando de forma irresponsável uma suposta prisão sua. Informa ainda esta Assessoria que o Vereador vai se pronunciar sobre a menção indevida de seu nome, bem como as eventuais providências judiciais, em breve, tão logo tome o real conhecimento da situação”, informava o documento encaminhado pela assessoria do vereador.

NÚMEROS DA OPERAÇÃO - A assessoria de Imprensa da Polícia Civil divulgou o balanço da Operação Alta Tensão:

Cerca de 150 policiais civis, de seis delegacias do interior e nove especializadasparticiparam da operação.

"Na última semana da gestão de Sivaldo à frente da Campos Luz foram desviados cerca de R$ 7 milhões", revelou o delegado, responsável pelas investigações na 134ª DP (Campos dos Goytacazes).

Nove empresas situadas em Campos, que atuavam como "fantasmas" e envolvidas em superfaturamento de obras, foram lacradas pela polícia. Entre as firmas estão a Agência de Talentos e Produções e Eventos Ltda., Nova Aliança Construções e Serviços Ltda., Ouro Negro Assistência e Consultoria, Fidalcon Construtora Ltda., Flavan Comércio de Peças e Material de Limpeza Ltda., Engenharia Monte/P. Magalhães Montagem e Construção Ltda., PH Paes Construtora Salles, e Flecha Dourada de Campos Ltda.

Na ação foram apreendidos 23 veículos, sendo nove caminhões de grande porte, 11 carros, duas motos, um trator. Também foram arrecadados cinco armas, munições, dois cofres, notebooks, cerca de 20 CPUs, 50 aparelhos celulares, além de eletrodomésticos, dinheiro e jóias. Os agentes também apreenderam equipamentos de um estúdio de som, em Campos.

A operação se estendeu à cidade do Rio, onde os policiais realizaram buscas e apreensões em dois pontos de Copacabana, na Urca e no bairro de Santa Rosa, em Niterói.

Participaram da ação, policiais da 134ª DP (Campos dos Goytacazes), 141ª DP (São Fidélis), 145ª DP (São João da Barra), 146ª DP (Guarus), 147ª DP (São Francisco de Itabapoana), e da 4ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (4ª CRPI).

Os agentes contaram com o apoio de policiais da Polinter, das Delegacias de Repressão a Armas e Explosivos (Drae), Roubos e Furtos (DRF) Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA), Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), Homicídios (DH), Fazendária (Delfaz), Defraudações (DDEF), com auxílio de agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). Também foram usados 40 viaturas, três reboques, um caminhão baú e um helicóptero Águia.

* Atualizado 19:14h.

Nenhum comentário: