PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

terça-feira, 26 de agosto de 2008

A Síndrome do Sidarta Gautama

Estive pensando a respeito das pessoas que não tem contato com o mundo real, que são isoladas por outras numa redoma onde tudo parece estar certo e feliz. Um dia elas são apresentadas à realidade e pode ser que não tenham uma boa impressão.
Estou chamando (não sei se já foi batizada por algum colega Psicólogo) de: Síndrome do Sidarta Gautama. Lógico que tal assunto será, em tempo certo, melhor fundamentado. Por hora é apenas um pensamento que compartilho.
Quando nasceu, por volta de 563 a.C, um sábio disse ao pai de Sidarta Gautama (Buda) que se ele saísse do palácio se tornaria um homem santo, mas se fosse criado isolado do mundo seria um grande rei. Temendo perder seu sucessor, o rei criou Sidarta absolutamente isolado da realidade pobre da cidade que existia fora do palácio imperial.
Ele foi criado, tendo em sua volta, centenas de cortesãs que lhe ofereciam favores sexuais e somente tinha contato com criados jovens e belos. Quando saía em seus passeios, já na adolescência, o pai mandava limpar e perfumar toda cidade por onde ele passaria e eram retirados do caminho do príncipe os velhos, os doentes e os pobres.

A realidade de Sidarta Gautama era artificial. Ele não conhecia as dores do mundo. Sua história muda completamente depois de algum tempo e com isso o destino de milhões que, ao longo da história do homem, seguiram os seus ensinamentos.

Podemos observar que existem pessoas que são isoladas da realidade por um motivo ou outro. Na maioria das vezes são filhos de famílias com posses que criam os seus filhos oferecendo um alto padrão de vida sem limites e com todos os desejos sendo acatados sem nenhuma negativa. Pessoas de fama e fortuna também podem estar imersas na Síndrome do Sidarta Gautama quando, cercadas por amigos e funcionários, a verdade lhes é limitada por medo de perderem seus respectivos ganhos pela proximidade.
O caso mais danoso da Síndrome do Sidarta Gautama, para a coletividade, pode ser observada nos governantes, líderes de grupos, cidades ou de países, que não tem acesso ao que de fato acontece de errado pois seus assessores diretos temem dizer a verdade e serem repreendidos. Na busca de agradar o líder acabam permitindo que ele tome decisões equivocadas por não ter a informação completa do que está ocorrendo de fato. Algumas guerras aconteceram por causa disso. Algumas pessoas podem estar sofrendo por falta de uma decisão, porque quem detém o poder não toma conhecimento do seu sofrimento.

A verdade pode ser maior para todos, mas é muito menor para muitos!

João Oliveira- Psicólogo CRP 05/32031

Nenhum comentário: