PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

terça-feira, 29 de julho de 2008

FILOSOFIA DE VIDA





As vezes as pessoas costumam dizer que tem uma filosofia de vida. O que seria isso? Seria algo parecido com o tal “Bom Senso”? Bem, nada pode ser mais individual que o “Bom Senso” e a Filosofia de Vida. Não existe uma regra geral para se apostar que o meu “Bom Senso” é igual ao seu.
A filosofia de vida, também absolutamente individual, nada tem com filósofos, e o Bom Senso nada tem com seguir demandas sociais, regras da sociedade, leis ou que quer seja. Tente localizar, na sua mente, o que você considera certo ou errado... e cuidado com os conceitos religiosos, por causa deles estamos em guerra em várias partes do mundo. Muito bem, se já conseguiu criar limites dentro da sua filosofia de vida, se obteve seus próprios mandamentos, tente agora aplicar dentro da sua própria família, será que eles têm a mesma linha de pensamento?
No mundo as experiências pessoais moldam o nosso caráter e mesmo filhos gêmeos idênticos tem representações internas diferentes de situações aparentemente iguais. Não somos, muitas vezes, capazes de tirar a mesma lição de uma experiência idêntica vivida por outra pessoa. O mundo é individual! Por isso não é possível acreditar no “Bom Senso” do outro, ele pode ser muito diferente, pois foi criado por interpretações pessoais de fatos vividos ao longo da vida.
Por isso existem advogados. A lei escrita pode gerar interpretações das mais variadas. Algumas pessoas sofrem onde outras são felizes e vice-versa.
A conclusão óbvia é que podemos, então, mudar nossa interpretação dos fatos da vida.
Pense! Tudo tem sentido, ou pode se tirar sentido de tudo, o prêmio da loteria pode trazer absoluta miséria, ou morte, o carro rebocado pelo Guarda de Trânsito pode ter evitado um acidente que lhe tiraria a vida, ou deixaria paralítico (o que pode ser pior, ou melhor).
Não existe sofrimento absoluto da mesma forma que não é possível ser feliz todo o tempo. Do mesmo jeito que não se pode acertar sempre, nem perder por toda eternidade.
Afinal o que certo ou errado? Pior ainda, o que é pecado?
Acabei de me lembrar que deixamos de fora os conceitos religiosos por motivos já expostos.
Se existe mesmo um céu, ou inferno, não queira ser o responsável por determinar quem vai para onde. No antigo Egito Anúbis, ao receber a alma de uma pessoa morta, colocava o coração na balança contra uma pena, mas era a pessoa que respondia, enquanto a balança ainda oscilava, qual era o mais pesado. Somos nós que sabemos o que fazemos de errado, pois estamos julgando nossos atos com os nossos próprios meios, nossa filosofia de vida e nosso Bom Senso. Por isso o nosso sofrimento só pode ser ressignificado por nós mesmos, esqueça aquela velha desculpa que o nosso sofrimento é gerado pelo outro. Somos nós, contra nós, o tempo todo.
Mude o seu entendimento dos fatos, e o mundo muda automaticamente.

Nenhum comentário: