PÁGINA OFICIAL, FACEBOOK e E-MAIL

http://www.isec.psc.br

https://www.facebook.com/Prof.Joao.Oliveira

E-mail: isecpsicologia@gmail.com

Para receber informações sobre palestras e cursos mande um email para: isec_news-subscribe@yahoogrupos.com.br

domingo, 26 de agosto de 2007

COLUNA DIA 26/08/2007




RAIO X AVIÃO



















Esse incrível episódio aconteceu no aeroporto de OSAKA, no Japão, o raio bate e segue seu caminho para o chão não causando danos maiores ao avião que levantava vôo.

TORRES NATUREBAS




Numa tentativa de agredir o menos possível o meio ambiente, algumas companhia de telefonia americanas estão optando por torres que não maculem tanto o visual das cidades. Estas, por exemplo, sã
o palmeiras (falsas) que na verdade são torres (ERBS) que funcionam iguais as nossas aqui do Brasil. Não resolve nada, mas que olhar rapidamente vai pensar que são palmeiras mesmo. É menos ruim, não chega a ser bom!
ILUSÃO – ALUCINAÇÃO – DELÍRIO

Um leitor escreveu perguntado a diferença entre esses estados de confusão da percepção. Ilusão é quando luzes, sombras, ou mesmo distância, causam alterações na forma como interpretamos o que vemos: uma pequena árvore pode se parecer um homem nas sombras durante a noite.
Alucinação é quando os nossos sentidos são afetados, eles nos dão informações irreais ou super amplificadas: o homem, nas sombras, lá fora está portando uma arma, acho que é um machado!
Já o delírio é uma condição causada por uma alteração metabólica, uma doença por exemplo, febre alta, a pessoa desenvolve interpretações próprias sobre o que ocorre ao seu redor que nada tem a ver com a realidade. Essa condição, no entanto, cessa quando a alteração metabólica acaba. No caso da fumaça de escapamento do carro, fechado na garagem, o individuo pode reagir, após inalar excessivamente o monóxido de carbono, como se estivesse num grande incêndio, ou numa guerra, saindo por completo da realidade, mas ao ser colocado fora da garagem e, ao respirar novamente o ar puro, voltará à sua condição normal quase que imediatamente.
No exemplo da árvore, sombra e machado, o cidadão em delírio diria que conhece o agressor, sabe seu nome, sua intenção e já tem um plano de como evitar o ataque que será nos próximos segundos. Ou seja, o delírio é mais complexo, pois os sentidos estão afetados de uma forma mais intensa e, pode ocorrer através utilização de drogas.

Nenhum comentário: